Instagram

Instagram has returned invalid data.

Siga o Mamute!

França Paris

O que fazer em Paris: roteiro imperdível de 5 dias na capital francesa e arredores

24 de Abril de 2014
O que fazer em Paris

Voltamos de viagem da iluminada Paris e queremos compartilhar nossas dicas com vocês! Quem já foi à capital francesa sabe que é fácil explicar por que essa é uma das dez cidades mais visitadas do mundo: charmosa na primavera, verão, outono e inverno. Audrey Hepburn tinha total razão quando disse que “Paris é sempre uma boa ideia”. Por isso, não faltaram lugares para montar um roteiro com dicas sobre o que fazer em Paris. Então, se você está com passagem marcada para matar os conhecidos de inveja com fotos na Champ de Mars, não deixe de dar uma olhada. Neste post, você vai encontrar:

  • O roteiro de até 5 dias de viagem para Paris e cidades vizinhas;
  • Informações sobre os pontos turísticos de Paris e demais cidades;
  • Dicas extras sobre outros locais que você pode visitar em uma viagem de mais dias.

Sem pretensão alguma de cobrir todos os pontos legais do país em apenas 5 dias – é impossível! –, montamos o roteiro de modo a contemplar aquilo que não pode faltar na checklist de viagem ao país em uma viagem mais curta. Let’s Paris!


O que fazer em Paris: roteiro para capital + dicas extras

Feitas as devidas considerações, vale ressaltar que o nosso roteiro da França contempla Paris e cidades próximas que valem a pena fazer um bate e volta para conhecer melhor o entorno. Assim, organizamos os três primeiros dias do roteiro na capital francesa, o quarto dia reservado para uma visita à cidade de Versailles e no quinto e último dia é a hora de conhecer um pouco a região do Vale do Loire, famosa por seus castelos. E então, vamos lá?

1º dia em Paris: o roteiro básico, mas imperdível na Cidade Luz

Para o primeiro dia de viagem, montamos um roteiro turístico básico de Paris, cobrindo os principais pontos turísticos de Paris.  Aliás, vale dizer: você pode ainda dividir este roteiro de um dia em dois dias, para conhecer tudo com mais calma, ou pular algum ponto que não seja tão interessante pra você.

Aqui privilegiamos o cenário sempre deslumbrante da Torre Eiffel + Champ de Mars e a região do Arco do Triunfo, Champs-Élysées e Museu do Louvre. Mais parisiense que isso, impossível!

1. Torre Eiffel

O que fazer em Paris

Começando com o “mais óbvio impossível”: a Torre Eiffel. A verdade é: mesmo que você não queira você irá vê-la repetidas vezes ao passear pela cidade. Subir até o topo também é uma obrigação, mesmo que a fila esteja grande. Paris vista de cima é tão linda quanto de baixo. O Arco do Triunfo, a Catedral de Notre Dame e o Pompidou também possuem bons observatórios; a nossa opinião é: suba em todos!

O combo para essa primeira parte do tour – que você pode fazer em uma manhã, com calma, ou menos que isso – é chegar pelo Trocadéro (a estação de metrô Trocadéro é a melhor opção), tirar a merecida foto da torre na Esplanade du Trocadéro, descer pelos Jardins, atravessar a Pont de l’léna, ter uma linda vista do Rio Sena, subir na Torre Eiffel e terminar com um piquenique no Champ de Mars, o que nos leva a este que é o segundo ponto do nosso roteiro.

Endereço da Torre Eiffel: Champ de Mars, 5 Avenue Anatole France, 75007 Paris, França

2. Champ de Mars

O que fazer em Paris

O Champ de Mars (ou Campo de Marte, em bom português) é uma das maiores áreas verdes da capital francesa. Fica localizado aos pés da Torre Eiffel, por isso sugerimos os dois juntos logo no início do roteiro. O Champ de Mars é um importante ponto turístico da cidade, não apenas pela localização privilegiada, mas pela história do lugar que já sediou importantes eventos em Paris.

O piquenique é uma forma bem francesa de terminar o passeio por essa área e um descanso antes do próximo round. Tem boulangeries ao redor da Champ de Mars, para comprar macarons e tortinhas. Você pode também ir ao supermercado Casino a dois quarteirões do gramado, na Av. du Gėnéral Détrie, se preferir comprar pães, queijos e um vinho para o lanche.

Endereço de Champ de Mars: 2 Allée Adrienne Lecouvreur, 75007 Paris, França

3. Arco do Triunfo

O que fazer em Paris

Prepara as pernas que o próximo combo é longo! Pegue um Uber no Champ de Mars até o Arco do Triunfo (é rapidinho, pois são apenas 2 km de distância). Este é um importante monumento da cidade, construído a mando de Napoleão Bonaparte como um símbolo de suas conquistas e inaugurado em 1836. É certamente um dos símbolos da cidade.

O Arco do Triunfo fica na mesma “linha” que o Obelisco, a Avenida Champs-Élysées e o Museu do Louvre, então é bom aproveitar e fechar os três em seguida. Uma boa rota é começar pelo Arco do Triunfo (as paradas de metrô Kléber e Argentine são próximas). O Arco fica no final da Av. Champs-Élysées, então basta seguir a pé descendo a avenida para ver as lojas mais chiques da cidade.

Endereço do Arco do Triunfo: Place Charles de Gaulle, 75008 Paris, França

4. Jardin des Tuileries

O que fazer em Paris

Essa é a parte longa da história: até chegar ao Jardin des Tuileries são uns 40 minutos de caminhada. Se você achar que é demais, uma opção é pegar novamente o metrô na estação Champs-Élysées-Clemenceau e descer na estação Tuileries ou, ainda, fica com a praticidade do Uber.

Para quem for todo o caminho a pé, continue pela avenida olhando as lojas até chegar na Av. Winston Churchill, onde se localiza à direita o Grand Palais, o Petit Palais e, logo em seguida, a Pont Alexandre III, uma das mais deslumbrantes da cidade.

Siga em frente para a Place de la Concorde e o Obelisco e, finalmente, o lindo Jardin des Tuileries, que tem o Museu l’Orangerie e o Museu do Louvre ao final.

O Jardin des Tuileries é o primeiro jardim público de Paris. Este é o jardim real que antes era conjunto a um castelo de mesmo nome, construído em 1564 e demolido em 1883. No local, você vai encontrar o Arco do Triunfo do Carrossel, o Jardim do Carrossel (que liga o Tuileries ao Museu do Louvre) e diversas esculturas de artistas famosos, como Rodin, espalhadas pelo jardim.

Endereço do Jardin des Tuileries: Place de la Concorde, 75001 Paris, França

5. Museu l’Orangerie

Localizado em frente à Praça da Concórdia fica o Museu l’Orangerie que homenageia o movimento impressionista e pós-impressionista. Ali estão abrigadas as Ninféias de Monet, famosa obra do pintor francês, composta quadros pintados em Giverny, cidade localizada a 75 km de Paris (saiba mais sobre a cidade aqui). Além disso, há exposição de outros artistas como Soutine, Derain, Walter e Guillaume.

Endereço: Jardin Tuileries, 75001 Paris, França

6. Museu do Louvre

O que fazer em Paris

Conforme disse acima, o Jardin des Tuileries fica conectado ao Museu do Louvre, de modo que os dois espaços podem ser facilmente acessados entre si.

Endereço: Rue de Rivoli, 75001 Paris, França

OBSERVAÇÕES SOBRE O PRIMEIRO DIA

  1. Tem um Paul (cadeia de boulangerie francesa com croissants maravilhosos) no meio do Jardin des Tuileries. Passe por lá que vale muito a pena! Falamos sobre as diversas filiais da padaria no post sobre restaurantes em Paris (clique aqui);
  2. O Musée de l’Orangerie é pequeno. Se você for fã incondicional de Monet vale a pena entrar, se não dá pra pular o programa;
  3. O Louvre está longe de ser o nosso queridinho no quesito “Museu em Paris”. Particularmente, o Museu d’Orsay e o Centro Georges Pompidou nos encanta bem mais. Mas se você estiver sem tempo para ir em vários, o Louvre é um clássico. É o museu mais visitado do mundo e não decepciona no quesito beleza, então continua sendo uma boa pedida;
  4. À esquerda do Museu do Louvre tem o Le Palais Royal, se a perna ainda der conta passe lá que o ambiente é bem simpático.

2º dia em Paris: mais locais clássicos da capital francesa

A Rive Gauche, área que era ocupada por boêmios e estudantes, também merece um tour especial em nosso roteiro. Por isso, dedicamos o segundo dia de viagem à esta região.

1. Catedral de Notre-Dame

O que fazer em Paris

A nossa sugestão é começar pela Catedral de Notre-Dame, localizada na Île de la Cité – tem a estação de metrô Cité ou o RER Saint-Michel Notre-Dame como opções de transporte. O interior da Catedral impressiona pelo estilo arquitetônico, mas é nas alturas que ela se diferencia: cada degrau subido para chegar até o topo é compensado pela vista e pelas divertidas esculturas que a enfeitam.

A famosa Catedral de Notre-Dame foi construída em estilo gótico, com início das obras em 1163 e inauguração em 1345. É um dos prédios mais importantes da França e um dos cartões-postais da cidade. Foi dedicada à Virgem Maria.

Endereço: 6 Parvis Notre-Dame – Pl. Jean-Paul II, 75004 Paris, França

2. Andanças pela Boulevard Saint-Michel e região

Depois da Catedral, saia da ilha pela Pont Saint-Michel e siga pelo Boulevard de mesmo nome. A região é muito agradável e os crepes de lá são bem famosos. Apesar das várias opções, a nossa dica é a Boulangerie de Papa, que conhecemos há seis anos e não decepciona em nenhuma visita. Fica na Rue de la Harpe. Então não deixe de visitar!

3. Panthéon

Ainda no 5th Arrondissement, você encontra o Panthéon, outro monumento importante da cidade e bastante visitado. É interessante, mas não imperdível. Entretanto, faz parte do roteiro mais clássico de Paris. Sobretudo pela importância histórica.

Localizado no monte de Santa Genoveva, pertinho do próximo ponto da nossa lista e em frente à Universidade Paris-Sorbonne. Construído em estilo neoclássico, o Panteão de Paris é também o local onde estão sepultados importantes nomes da cultura, ciência, artes e política da França, como é o caso dos escritores Victor Hugo e Alexandre Dumas, os filósofos René Descartes e Jean-Jacques Rousseau e Louis Braille, que criou o sistema homônimo de leitura para pessoas cegas.

Endereço: Place du Panthéon, 75005 Paris, França

4. Jardin du Luxembourg

O que fazer em Paris

Logo em seguida há o Jardin du Luxembourg (ou Jardim de Luxemburgo), dando continuidade ao nosso roteiro. O jardim fica em frente ao Palácio de Luxemburgo, que hoje é a sede do Senado Francês. Na mesma área fica ainda o Museu de Luxemburgo. Os jardins são super bem cuidados e possuem várias esculturas legais espalhadas para ver. Durante o inverno ele perde um pouco a beleza, mas na primavera, verão e outono não tem erro!

Aqui você encontra o mapa do percurso dessa primeira parte do roteiro, entre a Catedral de Notre Dame e o Jardin du Luxembourg.

5. Palais Garnier

O que fazer em Paris

A parte final deste dia de viagem é especial para quem ama arquitetura – mas se você apenas gosta de coisas bonitas vai aproveitar mesmo assim. O Palais Garnier, onde fica a Ópera de Paris, é o primeiro ponto da segunda parte do roteiro (a estação de metrô chama Opera mesmo). Apesar da forte concorrência, esse é um dos prédios mais lindos de Paris, e merece ser visitado com calma para apreciar os diferentes espaços que possui. Assim, você pode fazer a visita durante o dia ou comprar o ingresso para uma apresentação.

Ali perto tem mais três locais que merecem atenção. Um deles é o banco Societé Generale, que não é um ponto turístico em si, é realmente um banco em funcionamento, mas turistas sempre passam lá para ver o interior, então não se acanhe ao entrar. O segundo é a Galeries Lafayette, loja de departamentos tradicional da cidade. Por fim, o terceiro local é outra loja de departamentos, a Printemps. O que esses lugares têm em comum são as cúpulas estilo art nouveau deslumbrantes, os detalhes que enriquecem a estrutura dos prédios e a entrada gratuita! Aliás, se estiver com fome, tanto a Printemps quanto a Lafayette possuem cafés em suas coberturas com uma boa vista. Mapa dos locais aqui.

Tudo sobre a França


3º dia: tour pela região de Montmartre e La Défense

Um pouco mais afastado do burburinho do Sena fica Montmartre, um monte ao norte de Paris e uma badalada região da cidade. Não é à toa que diversos filmes, como Amélie Poulain, Moulin Rouge e Edith Piaf – Um hino ao amor, foram filmados em Montmartre.

1. Basílica de Sacré Coeur

O principal ponto do monte é a Basílica de Sacré Coeur, tão deslumbrante por fora quanto por dentro. Apesar de ser um pouco chatinho de chegar lá – as estações de metrô não são tão perto, por causa da altura –, aproveite para olhar as lojinhas da região e o cenário. Você pode subir o monte pela escadaria ou utilizando o Funicular de Montmartre, depende só da sua disposição! Outros destinos famosos nessa área são o Cemitério e o Moulin Rouge, mas se o tempo for apertado você não vai perder muita coisa se não for.

Endereço: 35 Rue du Chevalier de la Barre, 75018 Paris, França

2. Café dês Deux Moulins

O que fazer em Paris

Foto: Shadowgate from Novara, ITALY – Montmartre, CC BY 2.0 (https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=41228059)

Falamos há pouco do filme Amélie Poulain e o café em que ela trabalhava na obra existe mesmo! Chama-se Café dês Deux Moulins e funciona na 15 Rue Lepic. Vale a pena conferir, especialmente se você for um fã do filme.

3. Tour pela região de La Défense

Agora que você já passou pelo famoso bairro de Montmartre, pegue um Uber com destino a La Défense. Para fechar o dia, temos uma região moderna e descolada de Paris, mas que é pouco visitada por quem está passando pouco tempo na cidade devido à localização longe do Centro.

O La Défense é o centro financeiro da capital francesa e abriga os maiores edifícios da cidade. Além de uma profusão de prédios espelhados, a área possui o Grande Arco (uma versão “atualizada” do Arco do Triunfo, e que fica alinhado ao mesmo) e um museu a céu aberto com 60 obras de arte modernas espalhadas. Ainda que diferente do resto de Paris, La Défense consegue ser igualmente atrativo. Por isso, se tiver tempo, não deixe de ir lá!


4º dia em Paris: bate e volta até Versailles

Uma das mais comuns viagens de um dia a partir de Paris é o bate e volta até Versailles, a cidade que fica a cerca de 20 km de distância da capital francesa. A melhor forma de fazer o trajeto até a Versailles é pegar o trem RER, linha C, descendo na estação Versailles Rive Gauche, a mais próxima do Palácio de Versalhes (veja mapa da região aqui). Você pode também ir de carro alugado, ônibus ou contratar o serviço com uma agência de turismo.

A principal atração é certamente o famoso Palácio de Versalhes, mas a cidade conta com outros pontos interessantes para quem curte visitar palácios e jardins, especialmente na França. Elaboramos um roteiro sucinto na cidade porque cada local exige calma e tempo para apreciar tudo o que tem a oferecer. Nesse sentido, não é improvável que você queira passar todo o tempo da viagem apenas no palácio e na área ao redor.

1. Palácio de Versalhes

Não poderíamos começar esta lista com outro ponto turístico senão o Palácio de Versalhes. Declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, é tido por muitos, não à toa, como um claro símbolo de ostentação e caprichos da nobreza francesa.

Foi inicialmente construído pelo rei Luís XIII, mas só ganhou toda a pompa que conhecemos após a transformação implementa pelo rei Luís XIV, filho do ex-monarca. O Rei Sol, como ficou conhecido, transferiu a sede do governo para o Palácio de Versailles. Um dos pontos altos da visita é conhecer a Sala dos Espelhos. Para mais detalhes da visita e da história do Palácio, não deixe de acompanhar o passeio com áudio guia.

Tome cuidado para não escolher a segunda-feira para visitar o local, que abre de terça a domingo. Vale lembrar que é preciso ter o ingresso para entrar no Palácio, que você pode comprar no local ou pelo site, com antecedência e evitar as filas.

2. Jardins do Palácio

O projeto dos jardins do Palácio de Versailles foi feito pelo paisagista André Le Nôtre, contratado pelo rei para reproduzir, também na área externa, todo o luxo que o palácio possui. No local você vai encontrar fontes, estátuas, espelhos d’água… Ali você também encontrará restaurantes, então vale a pena parar para descansar um pouco e comer alguma coisa.

3. Grand Trianon

O Grand Trianon está localizado dentro da área do Palácio de Versailles, em outro lado do parque. Também foi construído por Luís XIV. É um palácio horizontal, com muito mármore branco, rosa e verde. Ladeado por jardins franceses, o Gran Trianon é, sem dúvidas, um dos locais mais refinados de toda a França.

Como a área entre esses dois locais é gigantesca, ao invés de caminhar entre eles, poupe tempo (e esforço!) e pegue um dos trenzinhos que circulam por aí ou faça o caminho de bicicleta.

4. Petit Trianon

O Petit Trianon é considerado uma das propriedades de Maria Antonieta, a famosa rainha francesa que foi morta na guilhotina no período da Revolução Francesa e era casada com Luís XVI. O Petit Trianon era considerado um refúgio para a rainha.


5º dia em Paris: bate e volta até o Vale do Loire

Para fechar a nossa viagem, um bate e volta até o Vale do Loire. O grande atrativo da região são os castelos então aproveite o dia para desbravar estes locais. Se a sua viagem for mais longa, reserve mais dias para conhecer melhor o Vale. Entretanto, para o roteiro de 5 dias, esse bate e volta funciona bem por ser próximo e acessível. Assim, fica à vontade para voltar em uma próxima viagem!

Para o passeio de um dia, dividimos o roteiro entre os castelos de Blois e Chambord, que ficam entre 16 km de distância entre si (veja o mapa aqui)

1. Castelo de Blois

Pela manhã, comece o roteiro visitando o Castelo de Blois. O Castelo de Blois foi a residência de sete reis franceses e dez rainhas. É inegável a sua importância para a história francesa, que vai além de residência real. Foi ali também que o Arcebispo de Reims abençoou Joana d’Arc antes de partir para o combate. Construído na Idade Média, há ali um mix de estilos arquitetônicos, como o clássico e o gótico. O local tem quatro alas bem diferentes entre si e funciona hoje como um museu.

Endereço: 6 Place du Château, 41000 Blois, França

2. Castelo de Chambord

O que fazer na França

Após visitar o Castelo de Blois, visite o Castelo de Chambord à tarde. Este é outro castelo muito importante do Vale do Loire e por isso figura em nossa lista. É Patrimônio Mundial pela Unesco desde 1981. Hoje propriedade estatal, teve como última dona particular uma família austríaca. Entretanto, ao contrário de outros castelos que você poderá visitar no país, o Castelo de Chambord é praticamente vazio. A visita envolve o espaço, a arquitetura. O destaque fica com a escada inspirada em desenhos de Leonardo da Vinci e o telhado do Castelo.

Endereço: Château, 41250 Chambord, França

Banner Checklist de Viagem Oficina de Inverno


Bônus: bate e volta até Giverny

Além do nosso roteiro de até 5 dias de viagem para Paris e cidades vizinhas, outra opção de viagem é um bate e volta até Giverny, essa cidade encantadora a poucos quilômetros de Paris. A Mamute Luiza Evangelista viajou como correspondente da Oficina de Inverno e contou sobre a experiência no nosso Instagram (confira aqui).

Escolhemos, então, esse roteiro como bônus por toda a importância para a história e cultura do país – o pintor Claude Monet viveu boa parte da vida em Giverny –, além de ser um bom roteiro para fechar a viagem para a França. Nesse sentindo, o destaque fica por conta da Casa de Monet e a maravilhosa torta de maçã, tradicional da cidade.

Saiba todos os detalhes sobre a cidade em nosso post sobre Giverny e veja mais detalhes também sobre a viagem ao Monte Saint-Michel (clique aqui para ler).


Outras informações úteis sobre a França

Quer saber mais sobre a França, a cultura e outros detalhes importantes sobre o país? Então não deixe de conferir os nossos posts sobre Paris e outras regiões do país. Selecionamos alguns como sugestão de leitura abaixo.

  • Lua de mel na França: que tal viajar para a região da Alsácia? Veja dicas desse destino super romântico! (clique aqui)
  • Estações de esqui na França: veja quando viajar e 6 locais indicados para os mais variados públicos (clique aqui)
  • Outono em Paris: frio na França com estilo (clique aqui)
  • 12 restaurantes em Paris: opções variadas para você aproveitar a gastronomia francesa (clique aqui)

Há outras incontáveis opções de locais para visitar, regiões para explorar, restaurantes para saborear na Cidade Luz. De fato, um dos correspondentes da Oficina de Inverno já passou um mês na cidade e garante que todos os dias se encantava com algo novo. Por isso, enquanto estiver fazendo um check nos pontos do nosso roteiro, não perca a oportunidade de entrar em um café que lhe chamou atenção ou em um pequeno museu peculiar do qual você nunca ouviu falar. A regra é simples: se parece interessante e fica em Paris… é uma boa ideia!

Leave a Reply