Instagram

Siga o Mamute!

Destinos de viagem Itália

Destinos congelantes: conheça os Alpes Italianos e aventure-se!

4 de Fevereiro de 2019
Alpes Italianos

Aqui na Oficina de Inverno nós amamos destinos congelantes! Estamos sempre em busca de conhecer novos lugares e entender tudo que é preciso para aproveitar melhor esses locais. É disso que se trata nossa seção sobre Destinos de Viagem. E, neste post, falamos sobre um local muito bacana que, talvez, acabe sendo ofuscado por um vizinho famoso: os Alpes Suíços. Mas esse post é sobre os Alpes Italianos.

Você conhece? Já ouviu falar? Os Alpes Italianos são uma cordilheira localizada na Itália e compreendem uma área de cerca de 298.128 km² e 4.810 metros de altura. Os Alpes ficam na região Norte do país e compreendem as regiões de Liguria, Piemonte, Valle d’Aosta, Lombardia, Trentino-Alto Adige, Veneto (Belluno) e Friuli-Venezia Giulia.

Na região oriental da Itália, as montanhas são conhecidas como Dolomitas. Esse trecho compreende as cidades de Belluno, Bolzano, Trento, Udine e Pordenone. O ponto mais alto é a Marmolada, com 3.343 metros de altitude.

Pra ver neve na Itália, a melhor opção é pegar a estrada rumo aos Alpes! Isso porque outras regiões do país não nevam com tanta frequência. O inverno, de uma maneira geral, e os meses de janeiro e fevereiro de forma mais particular, são os períodos ideais para uma aventura congelante.

Vale lembrar que é importante sempre consultar os sites dos destinos para saber se as estações de esqui, snow parks e outros espaços estão em funcionamento. Por algum motivo, como quantidade insuficiente de neve, esses locais podem estar fechados e isso pode comprometer a organização da viagem.

Os chamados Alpes se dividem ainda entre a França, Alemanha, Áustria, Eslovênia, Liechtenstein e Mônaco.

MONTE BRANCO, NOS ALPES ITALIANOS

Monte Bianco – ou Monte Branco – é o ponto mais alto dos Alpes Italianos e bastante marcante quando o assunto é o alpinismo. Esse é o monte mais alto da Itália: são 4.810 metros de altura.

MONTE LIVATA, A 1H30 DE ROMA

Localizado em um parque bem pertinho de Roma – a 1h30 de viagem –, o Monte Livata é uma opção bastante prática para quem está na capital italiana, devido à proximidade da cidade. O local, com 1.429 metros de altitude, conta com pistas de esqui e um parque com trenós, para quem prefere não se aventurar no esqui.

CORTINA D’AMPEZZO, A 2H20 DE VENEZA

Cortina D’Ampezzo, a cerca de 2h de Veneza, é um dos mais famosos destinos nos Alpes Italianos. Situada na província de Belluno, o local é um charme só! Seus atrativos não se restringem ao esqui, mas também outras atividades como

O próprio site classifica Cortina d’Ampezzo – uma classificação bastante comum – como “Rainha das Dolomitas”. Segundo ele, “Cortina tem uma herança de natureza, turismo e glamour”.

SEGURANÇA NOS ALPES ITALIANOS

É essencial ressaltar que a neve oferece alguns riscos, tanto no trajeto quanto nos próprios parques, e que o viajante deve estar atento à essas questões.

Uma delas é que, caso você viaje de carro, deve verificar se eles possuem pneus de neve e, se possível, correntes nos pneus. Se o carro for alugado, não deixe de perguntar por esse material, o que vale também para viagens em um carro de amigos. Veja esse tipo de pneu com correntes aqui.

COMO SE VESTIR NO INVERNO DA ITÁLIA

Linha Nevasca

A linha Nevasca é uma das opções para curtir os Alpes Italianos com muita proteção – Foto: Oficina de Inverno

Agora que você conhece mais sobre os Alpes Italianos e o que eles têm a oferecer para o visitante que ama aventuras congelantes, é preciso saber como se vestir em meio à tanto frio!

Para esse tipo de destino, é indispensável usar a regra das camadas de roupa! É o seguinte: por mais que as peças de roupas sejam produzidas para o frio, cada uma delas trabalha de uma forma diferente para manter o corpo aquecido. A roupa térmica, por exemplo, retém o calor do corpo. Já o casaco forma uma barreira contra o vento e o frio, só para citar dois exemplos. Para garantir a eficiência de cada roupa é necessário que elas trabalhem em conjunto. O ditado não deixa mentir: a união faz a força!

Assim, no frio intenso como ocorre nos Alpes Italianos, você deve montar sua mala de modo que as três camadas sejam atendidas. São elas:

Primeira camada

A primeira camada é formada pela roupa térmica, essencial no frio intenso. A Super Térmica da Oficina de Inverno é produzida co tecido tecnológico, que retém do calor do corpo de maneira bastante eficiente, evitando a formação de odores, o que possibilita seu uso por 7 dias sem lavar.

O aquecimento deve ocorrer de dentro para fora, já que o calor do corpo pode e deve ser aproveitado para evitar que a temperatura do ambiente seja sentida. Por isso, é necessário investir nos casacos e acessórios sem esquecer da roupa térmica. Do contrário, todo o tempo para escolher e dinheiro investidos em um casaco bonito e aconchegante serão em vão.

Segunda camada

A segunda camada é a intermediária e compreende a blusa manga longa e a calça. Dê preferência por peças de lã, seja ela sintética ou natural.

Terceira camada

A última camada protegerá contra o frio, o vento e a umidade. Esta camada dificulta a entrada do frio no corpo e, por isso, deve trabalhar em conjunto com as primeiras camadas, que retém o calor do corpo. Compreendem a terceira camada o casaco (ou jaqueta), botas – reforçadas com as palmilhas de lã –, cachecol e gorro.

Gostou de conhecer mais os Alpes Italianos? Caso já conheça, compartilhe conosco, nos comentários ou no Instagram, detalhes e registros da viagem. É só marcar o nosso perfil @oficinadeinverno ou a hashtag #mamutesviajantes. Adoramos acompanhar as aventuras congelantes de vocês!

    Leave a Reply