Instagram

Instagram has returned invalid data.

Siga o Mamute!

França Paris

Bate e volta a partir de Paris: Giverny e Monte Saint-Michel

29 de Abril de 2020
Bate e volta a partir de Paris

Está planejando uma viagem para a França, mas não é a sua primeira visita ao país e gostaria de um roteiro diferente daqueles que já fez anteriormente? Ou busca agregar outras opções de destinos à viagem mais longa que planeja fazer? A Oficina de Inverno está aqui para ajudar! Pensando em viajantes que buscam passeios diferenciados e mais alternativos em relação ao turistão básico, nós preparamos um guia com duas sugestões de bate e volta a partir de Paris. São elas: Giverny e o Monte Saint-Michel.

Assim, fica à escolha do viajante visitar os dois locais, caso tenha mais tempo, ou optar por um deles em sua viagem à França. Vale dizer que são dois locais maravilhosos no país e, se você for passar mais tempo na França, certamente não irá se arrepender de visitar. Com as informações certas, tanto Giverny quanto Monte Saint-Michel são lugares muito tranquilos de visitar.

Propomos essas opções de passeios para um roteiro diferenciado por serem locais maravilhosos de se conhecer e fugirem um pouco do roteiro mais clichê do país. A seguir, explicamos melhor cada uma delas.


Giverny: um bate e volta a partir de Paris

Próximo de Paris encontramos cidades bastante charmosas, como é o caso de Giverny, localizada na Normandia. Essa é outra dica da Mamute Luiza Evangelista, que fez a viagem como correspondente da Oficina de Inverno em 2019. A cidade fica localizada a apenas 75 km de Paris. Giverny é conhecida principalmente por ser a cidade onde o pintor impressionista Claude Monet viveu uma boa parte de sua vida. Assim, é perfeita para um bate e volta a partir de Paris. Luiza conta que “é muito fofa a cidade, é tipo uma vila, bem pequenininha e a coisa principal dela é o Monet”.

A pequena comuna francesa tem cerca de 500 habitantes e é muito charmosa. Bastante arborizada, calma e muito bem cuidada, os pontos turísticos ali giram em torno da obra e a vida de Monet. Além disso, as plantas e jardins, presentes em toda parte, também são grandes destaques. É difícil precisar o quanto essa cidade é linda. Assim, você terá mesmo que visitá-la! Aqui, a dica é bater pernas pela cidade, em busca da beleza que está em cada canto. Por isso, não esqueça de levar roupas adequadas para todas essas andanças.

A nossa proposta é de bate e volta, mas você pode também passar a noite e até mais dias em Giverny, por exemplo. É uma cidade que você certamente irá adorar!

O que fazer em Giverny em um bate e volta a partir de Paris

Feitas as devidas apresentações sobre a cidade, passaremos agora às dicas do que você pode fazer em um bate e volta a partir de Paris. E então, vamos lá?

1. Casa de Monet

Vídeo produzido e divulgado pelo canal Paris City Vision

Não poderíamos começar a falar dos pontos turísticos por outro lugar senão a Casa de Monet. O local é a principal atração turística de Giverny. Luiza conta que as paredes da sala de estar são cobertas de pinturas de Monet. A casa é bastante colorida – a cozinha, por exemplo, tem o azul como cor principal. E o jardim era cuidado pelo próprio Monet, junto com uma equipe de jardineiros.

Site: https://fondation-monet.com/

2. Le jardin d’eau

Vídeo produzido e divulgado pelo canal Royal Academy of Arts

Em frente à Casa de Monet, do outro lado da estrada, fica Le jardin d’eau ou Jardim d’Água. O local aparece em vários quadros do artista. O local possui uma caracterização muita parecida com os jardins japoneses: espelhos d’água, ponte e muitas espécies de plantas japonesas.

Estes locais – a Casa e o Jardim – são administrados pela Fundação Claude Monet. É difícil imaginar mas estes locais já estiveram completamente abandonados. É que, após a morte de Claude Monet, a propriedade fica para o filho que, por sua vez, deixa o local aos cuidados de Blanche Monet-Hoschedé e de um chef jardineiro. Após a morte de Blanche, a propriedade fica abandonada. Com a morte de Michel Monet, único herdeiro do pintor, a Casa e o Jardim passam a ser da Academia de Belas Artes. Essa era a orientação dada no testamento de Michel, que cria a Fundação em 1980.

Site: https://fondation-monet.com/

3. Museu dos Impressionismos

Conforme o nome do local sugere, o Musée des Impressionnismes é dedicado ao movimento artístico impressionista, que tem Claude Monet como um de seus expoentes. No Museu, você poderá ver conhecer melhor essa corrente artística, sua história, os grandes nomes e obras, além do seu desenvolvimento até os dias atuais, com o chamado pós-impressionismo. Aém disso, em frente ao museu, assim como boa parte do cenário dessa linda cidade, você vai encontrar um belíssimo jardim (e muito bem cuidado!). O espaço conta ainda com visitas guiadas e espaço para crianças.

Site: https://www.mdig.fr/en

4. Dica extra de passeio: conhecendo Giverny de bicicleta

Há ainda a opção de passeio de bicicleta por Giverny, algo que tem feito bastante sucesso. Então se esse for um tipo de atividade turística que lhe interesse, vale a pena conferir.

Onde comer em Giverny

Após visitar a casa e o jardim, não deixe de passar no Les Nymphéas. O local fica na mesma rua da Fundação Claude Monet. Por lá, aliás, outra dica da Luiza é pedir a torta de maçã: bem tradicional e uma delícia! Outro local muito bacana fica a apenas 10 minutos (a pé) da casa de Monet: é o Le Jardin des Plumes, restaurante e hotel que funciona em uma casa construída em 1912. O local reúne a arquitetura da época na parte de fora e a parte interior com decoração moderna. É um bom local para fechar o dia de passeios por Giverny.

Como chegar em Giverny

O bate e volta a partir de Paris para Giverny pode ser feito de trem e ônibus, carro ou em excursão:

  • TREM: essa foi a opção escolhida pela Mamute Luiza. Você deve pegar o trem da estação Saint-Lazare até Vernon e de lá vá para Giverny, que fica pertinho (veja os horários do trem aqui). Em Vernon, pegue um táxi ou o ônibus que parte da estação para Giverny, que fica a apenas 4 km de distância. Vale lembrar que em Vernon o serviço de táxi precisa ser agendado antes. Muita gente também costuma fazer esse trajeto de carro. A viagem dura pouco mais de uma hora.
  • CARRO: você pode alugar um carro em Paris e seguir facilmente para Giverny através do GPS.
  • EXCURSÃO: há diversas opções saindo de Paris rumo à Giverny. Assim, faça uma pesquisa criteriosa e aposte nessa opção se você só quer se preocupar mesmo em conhecer a bela cidade.

Monte Saint-Michel: um bate e volta a partir de Paris

O Monte Saint-Michel fica na Normandia, a 360 km de distância de Paris. A vila costuma ser visitada em um bate e volta a partir de Paris e todos os dias recebe milhares de turistas. Você pode fazer a visita em um dia e dá pra conhecer bem o local. Entretanto, também pode fazer uma viagem de dois dias. Assim, o roteiro fica menos cansativo. E você pode aproveitar para visitar os castelos do Loire no segundo dia.

Para programar a visita, uma boa dica é observar o período em que as marés estão cheias. Essa é uma grande atração local. Inclusive, no próprio site oficial de Monte Saint-Michel você encontra os dias e horários em que isso acontece. Clique aqui para ver. Aliás, vale dizer, as marés mais altas ocorrem entre 36 e 48 horas após o período de lua cheia e nova.

Uma dica importante para bater pés pela vila e subir o monte, que não conta com escadas ou qualquer tipo de facilidade – é ir vestido de maneira bem confortável e, nos pés, uma bota que aguente boas horas de caminhada.

Você vai querer começar a viagem, claro, pela grande estrela do local: a imponente Abadia Saint-Michel. Mas para chegar até lá, haja subida e outras coisas para ver no caminho! Por isso, aproveite o trajeto até lá para conhecer melhor a vila, fazer as fotos, parar para comer a tradicional omelete em La Mère Poulard…

O que fazer em Saint-Michel em um bate e volta a partir de Paris

Agora que você já conhece detalhes sobre Saint-Michel, vamos às opções de locais para visitar e o que fazer na vila francesa.

1. Igreja de São Pedro

Vídeo produzido e divulgado pelo canal Jumbo Jet

No caminho até a Abadia, conheça a Igreja São Pedro, outra parte importante da cidade e que vale a pena visitar. São Pedro foi o padroeiro dos pescadores dos séculos XV e XVI. A igreja já fica pertinho da Abadia. No final da rua em que ela se encontra, há a escadaria que você deverá subir até a Abadia.

2. Abadia de Saint-Michel

Vídeo produzido e divulgado pelo canal Great Big Story

A Abadia de Saint-Michel foi construída em estilo românico. Foi erguida no topo do monte em homenagem ao arcanjo São Miguel. A construção se deu no ano 966 por monges beneditinos. A Abadia recebeu então, em 1979, o título de Patrimônio Mundial pela Unesco.

Para visitar o local e conhecer a história de forma aprofundada, faça a visita guiada à Abadia, que já serviu também como forte militar e prisão. Ademais, para visitar o local é preciso comprar o ingresso, que pode ser adquirido quando chegar, na entrada da vila.

A abadia é gigantesca, foi construída em diferentes estilos arquitetônicos e possui 22 salões. Visite o local com calma – mesmo com muita gente ao redor – e aproveite a vista privilegiada que a a abadia proporciona para a baía do Monte Saint-Michel.

3. Museu Histórico

O Museu Histórico é outro ponto turístico da vila de Monte Saint-Michel e um dos locais mais interessantes na cidade, especialmente se você curte passeios históricos. O local expõe a reconstituição de masmorras, além de trazer, como o nome sugere, muitos detalhes sobre a histórica do pequeno vilarejo francês.

4. Casa de Tiphaine de Raguenel

Um dos locais que você pode conhecer por lá é o gabinete de Astrologia de Tiphaine de Raguenel que, dizem, era uma astróloga e cartomante que acabou atraindo o cavaleiro Bertrand du Guesclin ao fazer uma previsão sobre uma batalha em que ele sairia vencedor.

Onde comer em Monte Saint-Michel: La Mère Poulard

Conheça a famosa omelete! – Vídeo produzido e divulgado pelo canal meteoalacartelemag

Uma parada vai bem, que tal? Apesar de existirem outros restaurantes locais bem mais baratos, La Mère Poland é um local interessante a se visitar por fazer parte da história da vila francesa há bastante tempo. Inaugurado no final do século XIX, o restaurante e pousada serve uma omelete que passou a ser considerada comida típica da cidade. Um ponto negativo é o fato dos preços serem mais altos, como ocorre na maioria dos restaurante em Monte Saint-Michel. Nesse sentido, você pode buscar um dos outros restaurantes locais que servem uma omelete semelhante.

Como chegar no Monte Saint-Michel

O bate e volta a partir de Paris para Monte Saint-Michel pode ser feito de trem e ônibus, carro ou em excursão:

  • TREM: pegue o trem em Paris na estação de Montparnasse rumo à Granville. Desembarque em Villedieu-les-Poêles e então pegue um ônibus até o monte.
  • CARRO: você pode buscar uma locadora de carros em Paris e seguir com a ajuda de um serviço de GPS. Ao chegar, você precisará deixar o carro no estacionamento que fica a 3 km de distância do monte e de lá seguir a pé com um guia ou de ônibus, que é gratuito e faz o traslado ao longo de todo o dia (de 7 à 0h).
  • EXCURSÃO: há diversas opções que fazem a viagem de ida e volta a partir de Paris, como é o caso da Paris City Vision, então vale a pena dar uma pesquisada.

E então, curtiu o nosso guia? Você tem alguma dúvida sobre como organizar a sua viagem para a França, o que levar na mala ou quer dicas adicionais? Não deixe de falar conosco! Nesse sentido, você pode entrar em contato por meio da caixa de comentários abaixo ou do nosso perfil no Instagram. Basta procurar por @oficinadeinverno. Aliás, não deixe de seguir e acompanhar as nossas dicas de viagem por lá!

Leave a Reply