Instagram

Siga o Mamute!

França

Roteiro imperdível: dicas de Paris

24 de Abril de 2014
Voltamos de viagem da iluminada Paris e queremos compartilhar nossas dicas com vocês! Quem já foi à capital francesa sabe que é fácil explicar porque essa é uma das dez cidades mais visitadas do mundo: charmosa na primavera, verão, outono e inverno, Audrey Hepburn tinha total razão quando disse que “Paris é sempre uma boa ideia”.Por esse motivo, não faltaram lugares para montar esse nosso pequeno guia de must see que fizemos. Se  você está com passagem marcada para matar os conhecidos de inveja com fotos na Champ de Mars, não deixe de dar uma olhada. Sem pretensão alguma de cobrir todos os pontos legais da cidade, apenas encaixamos o que não pode faltar na check list. Let’s Paris!
 Imagem

O cenário sempre deslumbrante da Torre Eiffel + Champ de Mars
Começando com o “mais óbvio impossível”: a Torre Eiffel. A verdade é: mesmo que você não queira você irá vê-la repetidas vezes ao passear pela cidade. Subir nela também é uma obrigação, mesmo que a fila esteja grande (Paris vista de cima é tão linda quanto de baixo- o Arco do Triunfo, a Catedral de Notre Dame e o Pompidou também possuem bons observatórios, a nossa opinião é: suba em todos!).O combo para nesse tour é chegar pelo Trocadéro (a estação de metrô Trocadéro é a melhor opção), tirar a merecida foto da torre na Esplanade du Trocadéro, descer pelos Jardins, atravessar a Pont de l’léna, ter uma linda vista do Rio Sena, subir na Torre Eiffel e terminar com um piquenique no Champ de Mars.
O piquenique é uma forma bem francesa de terminar o passeio e um descanso antes do próximo round. Tem boulangeries ao redor da Champ de Mars, para comprar macarons e tortinhas, e tem também um supermercado Casino á dois quarteirões do gramado, na Av. du Gėnéral Détrie, se preferir comprar pães, queijos e um vinho pro lanche 😉
Prepara as pernas que o próximo combo é longo! O Arco do Triunfo fica na mesma “linha” que o Obelisco, a Avenida Champs-Élysées e o Museu do Louvre, então é bom aproveitar e fechar os três em seguida.Uma boa rota é começar pelo Arco do Triunfo (as paradas de metrô Kléber e Argentine são próximas). O arco fica no final da Av. Champs-Élysées, então basta seguir a pé descendo a avenida para ver as lojas mais chiques da cidade. Essa é a parte longa da história- até chegar ao Jardins de Tuileries são uns 40min de caminhada (se você achar que é demais, uma opção é pegar novamente o metrô na estação Champs-Élysées-Clemenceau e descer na estação Tuileries). Para quem for todo o caminho a pé, continue pela avenida olhando as lojas até chegar na Av. Winston Churchill, aonde se localiza à direita o Grand Palais, o Petit Palais e, logo em seguida, a Pont Alexandre III, uma das mais deslumbrantes da cidade. Siga enfrente para a Place de la Concorde e o Obelisco e, finalmente, o lindo Jardin des Tuileries, que tem o Museu  l’Orangerie e o Museu do Louvre ao final. Fizemos um mapa dessa última parte para ajudar:
 Imagem

Sigam as setas amarelas que o encantamento é certo!
Quatro observações relevantes sobre esse tour: 1- tem um Paul- cadeia de boulangerie francesa com croissants maravilhosos- no meio do Jardin des Tuileries: coma que vale a pena!; 2-  o Musée de l’Orangerie é pequeno. Se você for fã incondicional de Monet vale a pena entrar, se não dá pra pular o programa; 3- o Louvre está longe de ser o nosso queridinho no quesito “Museu em Paris”. Particularmente, o Museu d’Orsay e o Centro Georges Pompidou nos encanta bem mais. Mas se você estiver sem tempo para ir em vários, o Louvre é um clássico, o museu mais visitado do mundo e não decepciona no quesito beleza- então continua sendo uma boa pedida. 4- À esquerda do Museu do Louvre tem o Le Palais Royal, se a perna ainda der conta passe lá que o ambiente é bem simpático.
 Imagem

Catedral de Notre Dame a noite, linda!
A Rive Gauche, área que era ocupada por boêmios e estudantes, também merece um tour especial. A nossa sugestão é começar pela Catedral de Notre Dame, localizada na Île de la Cité (tem a estação de metrô Cité ou o RER Saint-Michel Notre-Dame como opções de transporte). O interior da Catedral impressiona pelo estilo gótico, mas é nas alturas que ela se diferencia: cada degrau subido para chegar até o topo é compensado pela vista e pelas divertidas esculturas que a enfeitam. Depois da Catedral, saia da ilha pela Pont Saint-Michel e siga pelo Boulevard de mesmo nome. A região é muito agradável, e os crepes de lá são bem famosos. Apesar das várias opções, a nossa dica é a Boulangerie de Papa, que conhecemos há 6 anos atrás e não decepciona em nenhuma visita, na Rue de la Harpe  Ainda no 5th Arrondissement, você encontra o Pantheon– interessante, mas não imperdível- e logo em seguida o Jardin du Luxembourg. Os jardins são super bem cuidados e possuem várias esculturas legais espalhadas para ver (durante o inverno ele perde um pouco a beleza, mas na primavera, verão e outono não tem erro!). Mapa do percurso aqui
 Imagem

Lateral do Palais Garnier
Esse combo é especial para quem ama arquitetura- mas se você apenas gosta de coisas bonitas vai aproveitar mesmo assim. O Palais Garnier, aonde fica a Ópera de Paris, é o primeiro ponto (a estação de metrô chama Opera mesmo). Apesar da forte concorrência, esse é um dos prédios mais lindos de Paris, e merece ser visitado com calma para apreciar os diferentes espaços que possui- (Obs: você pode fazer a visita durante o dia ou comprar o ingresso para uma apresentação). Ali perto tem mais três locais que merecem atenção: o banco Societé Generale– que não é um ponto turístico em si, é realmente um banco em funcionamento, mas turistas sempre passam lá para ver o interior, então não se acanhe ao entrar; a Galeries Lafayette– loja de departamentos tradicional da cidade; e a também loja de departamento Printemps. O que esses lugares tem em comum são as cúpulas estilo art nouveau deslumbrantes, os detalhes que enriquecem a estrutura dos prédios e a entrada gratuita! Se estiver com fome, tanto a Printemps quanto a Lafayette possuem cafés em suas coberturas com uma boa vista. Mapa dos locais aqui.
 Imagem

Basílica de Sacré Coeur, em Montmartre
Um pouco mais afastado do burburinho do Sena fica Montmartre, um monte ao norte de Paris e uma badalada região da cidade. O principal ponto do monte é a Basílica de Sacré Coeur, tão deslumbrante por fora quanto por dentro. Apesar de ser um pouco chatinho de chegar lá- as estações de metrô não são tão perto, por causa da altura- aproveite para olhar as lojinhas da região e o cenário. Não é a toa que diversos filmes, como Amélie Poulain, Moulin Rouge e Edith Piaf- Um hino ao amor, foram filmados em Montmartre. (Obs: falando em Amélie, o café em que ela trabalhava no filme, o Café dês Deux Moulins existe mesmo e funciona na 15 Rue Lepic, se quiser conferir). Você pode subir o monte pela escadaria ou utilizando o Funicular de Montmartre, depende só da sua disposição! Outros destinos famosos nessa área são o Cemitério e o Moulin Rouge, mas se o tempo for apertado você não vai perder muita coisa se não for.
Por fim, uma região moderna e descolada de Paris, mas que é pouco visitada por quem está passando pouco tempo na cidade devido à localização longe do Centro. O La Défense é o centro financeiro da capital francesa e abriga os maiores edifícios da cidade. Além de uma profusão de prédios espelhados, a área possui o Grande Arco (uma versão “atualizada” do Arco do Triunfo, e que fica alinhado ao mesmo) e um museu a céu aberto com 60 obras de arte modernas espalhadas. Ainda que diferente do resto de Paris, La Défense consegue ser igualmente atrativo. Por isso, se tiver tempo, não deixe de ir lá!
Há outras incontáveis opções de locais para visitar, regiões para explorar, restaurantes para saborear na Cidade Luz. De fato, um dos correspondentes da Oficina já passou um mês na cidade e garante que todos os dias se encantava com algo novo. Por isso, enquanto estiver fazendo um check nos pontos do nosso roteiro, não perca a oportunidade de entrar em um café que lhe chamou atenção ou em um pequeno museu peculiar do qual você nunca ouviu falar. A regra é simples: se parece interessante e fica em Paris…é uma boa ideia! Bon Voyage!

Leave a Reply