Instagram

Siga o Mamute!

Nova Zelândia

Nova Zelândia no inverno: Aventura e descoberta

6 de dezembro de 2016
Nova Zelândia no inverno

A Nova Zelândia é um pequeno país dividido em 2 ilhas (norte e sul) localizado no Hemisfério Sul, que além de ser conhecido pelas paisagens impressionantes, pode ser uma boa opção de viagem de inverno. A estação só começa em junho e termina em agosto, recebendo poucos visitantes, o que torna a viagem de férias uma experiência tranquila e intimista. O clima é subtropical e as temperaturas podem chegar a -10°C, mas na maioria dos dias, o tempo fica em torno de 15 ºC e a neve pode ser vista apenas no topo dos alpes. Viajar para Nova Zelândia no inverno significa aproveitar passeios ao ar livre, um contato maior com a natureza, descobertas e aventuras geladas. E vem com um benefício: Como é fora de época, as taxas de hotel e avião são reduzidas. Nós listamos 7 atrações da Nova Zelândia no inverno que você precisa conhecer!

Nova Zelândia no inverno: Uma dose de aventura nas férias

Nova Zelândia no inverno: Uma dose de aventura nas férias

 

1) Nova Zelândia no inverno: Complexo de Esqui

Por causa do terreno montanhoso, o país possui vários alpes cobertos de neve e neles são realizados inúmeros esportes radicais. Explorar cavernas, paraquedismo, bungy, rafting, passeios de barco, snowboard e esqui são alguns dos atrativos para os aventureiros de plantão. Entre os locais mais visitados estão Queenstown, Monte Ruapehu e Lago Wanaka, que também oferecem algumas das paisagens mais bonitas do mundo. Para subir até essas montanhas não é fácil… haja pulmão! E provavelmente você não vai estar sozinho nessa região, pois é bastante visitado por mochileiros em busca de aventura. Alguns dos principais complexos de esqui são: Treble Cone, no lago Wanaka, Whakapapa e Turoa, ambos nas montanhas Mt Ruapehu. O Whakapapa Ski Area fica nas encostas norte-ocidental do Monte Ruapehu, e atualmente é a maior área de esqui, com mais de 65 trilhas distribuídas em 1050 hectares. Já o Turoa Ski Area fica nas encostas sul-ocidental da montanha e possui a maior elevação da Nova Zelândia – O “Highnoon Express”, além da maior descida vertical da Australásia.

Nova Zelândia no inverno: Complexo de Esqui

Nova Zelândia no inverno: Complexo de Esqui

 

2) Nova Zelândia no inverno: As fontes termais

O país fica em uma linha de falha geológica enorme e isso torna possível a formação de fontes termais, lagos vulgânicos fedidos e vulcões. A maioria deles fica nas ilhas do norte, sendo Rotorua o mais visitado. Nas ilhas do sul, o mais famoso é o Hanmer Springs. E Não há nada melhor do que curtir no inverno quentinho em uma dessas piscinas que contém minerais e assim, propriedades relaxantes e terapêuticas. Essas piscinas naturais de água quente são encontradas tanto após percorrer algumas trilhas à pé, como também em spa luxuosos em cidades maiores da Nova Zelândia. Entre os mais conhecidos estão o Kerosene Creek em Rotorua e o Hot Water Beach em The Coromandel. E entre os hotéis de luxo com fontes termais, estão os de  Whakarewarewa:  Tihi Retreat, Regal Palms Resort e o Holiday Inn Rotorua.

Nova Zelândia no inverno: As fontes termais

Nova Zelândia no inverno: As fontes termais de Hanmer Springs

 

3) Nova Zelândia no inverno: Cultura Maori

Além de aventura, é possível conhecer os costumes e a história da Nova Zelândia. Na cidade de Rotorua, você encontra apresentações culturais māori, que é o povo nativo neozelandês. Locais como Te Puia, Mitai Village e Tamaki Village oferecem experiências culturais que combinam apresentações de canto, dança e haka (danças de guerra) com pratos típicos da cultura Māori. Lá também há o Museu Interativo de Rotorua, com inúmeras manifestações artísticas desse povo nativo. Vale super a pena conferir!

Nova Zelândia no inverno: Cultura Maori

Nova Zelândia no inverno: Performace em homenagem ao povo Maori

 

4) Nova Zelândia no inverno: Festival de Inverno de Queenstown

O Queenstown Winterfest é um festival neozelandês teve início em 1975, com um grupo de moradores locais. O espetáculo dura 3 dias e atrai cerca de 45 mil turistas. Praticantes de snowboard e esquiadores profissionais participam de competições com música eletrônica, rock e jazz, fogos de artifício e uma paisagem de tirar o fôlego do topo da montanha coberta de neve. O evento chega a sua 43° edição e vai ser realizado entre os dias 22 e 25 de junho de 2017.

Nova Zelândia no inverno: Festival de Inverno de Queenstown

Nova Zelândia no inverno: O Festival de Inverno de Queenstown

 

5) Nova Zelândia no inverno: Aurora Austral

Na Nova Zelândia é possível ver a Aurora Polar, um dos espetáculos mais incríveis do planeta. Ele surge do choque entre partículas solares carregadas e átomos de oxigênio e nitrogênio presentes na alta atmosfera terrestre, que se ionizam e produzem as luzes coloridas no céu. No sul, o fenômeno é chamado de “aurora austral”.  Os melhores pontos de observação se localizam em Stewart Island e Catlinks em Otago.

Nova Zelândia no inverno: Aurora Austral

Nova Zelândia no inverno: O fenômeno espetacular Aurora Austral

 

6) Nova Zelândia no inverno: Paraíso culinário Marlborough

Falar de comida é muito bom, e uma cidade deliciosa da Nova Zelândia no inverno é o oásis gastronômico de Marlborough, na ilha sul. Os pratos da maioria dos restaurantes são orgânicos e colhidos na hora. Lá é a casa dos super-morangos, que são do tamanho de uma bola de tênis (?), e das saladas com sabor único. Nos restaurantes da cidade é possível experimentar churrascos incríveis com tempero forte, e os vinhos, considerando que a região produz 75% de toda a bebida vendida no país.

Nova Zelândia no inverno: Paraíso culinário Marlborough

Nova Zelândia no inverno: Paraíso gastronômico Marlborough

 

7) Nova Zelândia no inverno: Vulcões

Se o Brasil por estar localizado praticamente no meio de uma placa tectônica, faz-nos observar vulcões apenas pela televisão, na Nova Zelândia existe uma grande quantidade deles, ativos e adormecidos. Pois é, e não é difícil chegar até eles! Você pode começar passeando de barco pelo único vulcão marítimo ativo do país. Ele está localizado na ilha norte, há apenas 50 quilômetros de distância de Whakatane, uma pequena cidade costeira. Depois, conheça o impressionante Taranaki, que fica perto do litoral e está adormecido há mais de 300 anos. Ele possui cerca de 120 mil anos de idade, e é o vulcão mais simétrico do país. Ou ainda, visite um dos vulcões mais novos a serem formados na Nova Zelândia, o Rangitoto, que tem 600 anos. Ele está localizado na ilha de Auckland, no golfo de Hauraki. Os Turistas podem fazer passeios de hidroavião pelo cone do vulcão. O Rangitoto ainda oferece uma visão espetacular de 360°C da cidade.

Nova Zelândia no inverno: Vulcões

Nova Zelândia no inverno: Vista do vulcão adormecido Taranaki

 

Se você procura aventura e uma rota alternativa longe da grande movimentação das capitais, a Nova Zelândia no inverno oferece opções incríveis que você não pode perder. Para aproveitar melhor os passeios, confira também nossas dicas sobre como se vestir no frio. Ah! E não deixe de visitar o nosso iglu: O site está cheio de roupas e acessórios que vão deixar você quentinha para as viagens de inverno. Até mais! ?⛄

    Leave a Reply