Dicas Úteis de Viagem

A nova fiscalização da Receita para passageiros de vôos internacionais

27 de novembro de 2014

A Receita Federal divulgou hoje que vai implementar um sistema mais rígido de fiscalização dos passageiros de vôos internacionais. A data exata de início das novas regras ainda não foi divulgada, mas eles afirmam que será no primeiro semestre de 2015. As mudanças não são drásticas pois as regras para a tributação de itens importados continuam as mesmas. A grande “novidade” será na fiscalização: o Fisco promete apertar o cerco contra a entrada irregular de produtos nos aeroportos do País.

Para todas as dúvidas sobre as regras de fiscalização da Receita e sobre a entrada de mercadoria de passageiros em vôos internacionais a Oficina de Inverno fez um guia com tudo o que você precisa saber sobre o limite da alfândega para compras no exterior:

novidades receita federal para fazer fiscalização na alfândega em 2015

A nova fiscalização dos aeroportos brasileiros em 2015:

Mas o que de fato irá mudar em 2015? A partir do primeiro semestre do ano que vem os fiscais terão acesso a informações de diferentes fontes sobre o viajante de vôos internacionais. O peso da bagagem, local de origem do vôo e tempo de duração da viagem serão algumas informações que passarão a ser analisadas no retorno do viajantes. Essas informações sobre os passageiros serão transmitidas pelas próprias companhias aéreas e depois cruzadas com os sistemas da Receita e da Polícia Federal. Antes do avião pousar no Brasil o Fisco já realizará a análise desses dados e decidirá quais contribuintes terão as malas verificadas.

Uma outra ação mais rigorosa serão as câmeras que farão o reconhecimento facial dos viajantes (comparando com a foto do passaporte) para selecionar potenciais sonegadores e suspeitos de lavagem de dinheiro.

Segundo a Receita Federal tudo será feito com muita agilidade, o que facilitará a vida do viajante “sem suspeitas” no desembarque, deixando a demora apenas para os que caiam na “rede” do Fisco. A promessa das mudanças é de uma fiscalização mais precisa e eficiente.

nova fiscalizacao para voos internacionais

Imagem: www.dicasdaflorida.com

Mas afinal, como são as regras de tributação?

Produtos tributados x Produtos Isentos

São considerados isentos produtos de uso ou consumo pessoal. Nesse quesito entram roupas, livros, acessórios, celular (em uso), máquina fotográfica (em uso). Esses bens considerados de uso pessoal não são tributados e nem entram na cota. Para obter o benefício, no entanto, é necessário que seja apenas uma unidade de cada produto, a qual deve obrigatoriamente já ter sido usada.

Mas o que é considerado em uso?

Itens fora da caixa, sem etiqueta e de preferência com conteúdo, de forma que caracterize que o objeto é seu e você comprou para usar!
Nesse quesito é válido destacar algumas hipóteses:
  • Equipamentos para uso profissional: poderão ter isenção de tributos caso seja um objeto portátil e tenha sido utilizado profissionalmente no exterior. A atividade e o uso do maquinário devem ser comprovados. A liberação dependerá da avaliação do fiscal.
  • Enxoval de bebê: podem ser taxados caso passem da cota e a criança ainda não tenha nascido ou não esteja com os pais na viagem, uma vez que não seriam itens “em uso”.
  • Vestido de noiva: vale a mesma regra. Podem ser taxados se passarem da cota. Só será isento de tributos se a viajante comprovar que realizou o casamento durante a viagem.
  • Ipad: não é considerado isento. Será tributado se ultrapassar o valor da cota.
 cotas para compra no exterior em dólar
Vale lembrar que…

itens eletrônicos são considerados de uso pessoal apenas se tiver uma unidade de cada produto. Assim, se você levar um item (câmera ou celular) do Brasil para a viagem e comprar outro item para a mesma função no exterior, o segundo item não será considerado de uso pessoal e poderá ser tributado se ultrapassar a cota.

Qual a cota para compra de produtos no exterior?

A cota pra compras de mercadoria no exterior é US$ 500 (por via aérea ou marítima) ou US$ 300 (terrestre ou fluvial). As compras até esse valor não serão tributadas em seu retorno ao Brasil.  O valor da cota não pode ser unificado para viajantes que estão juntos (Ex: o item custou US$800 e quero contabilizar como US$500 meus e US$500 da minha esposa).

Porém, se ultrapassar essa cota os produtos deverão ser especificados na Declaração Eletrônica de Bens de Viajante (e-DBV) e serão tributados a uma alíquota única de 50%, aplicada sobre o valor excedente. Caso sofra fiscalização e não tenha feito a e-DBV, o viajante será multado em 50% do valor excedente à cota de isenção, mais o imposto devido.

Os bens que somarem mais de US$ 3 mil poderão ser retidos e tributados segundo as regras oficiais de importação.

Foto: www.viagenscompras.com

Foto: www.viagenscompras.com

E se o produto tiver sido comprado em uma viagem anterior?

Nesse caso é necessário comprovar quando foi realizada a compra. A forma mais recomendada é levar a nota fiscal do produto ou a Declaração Eletrônica de Bens de Viajante (e-DBV) realizada em viagens anteriores. Reúna esses comprovantes antes de viajar  e leve-os consigo.

 

E os produtos do Free Shop, entram na cota?

Os produtos adquiridos no Free Shop no Brasil são isentos de impostos até o limite de US$ 500. Porém, esses produtos não concorrem na cota de US$500 para produtos importados. Significa que o viajante terá direito a “duas” cotas de isenção: US$500 para produtos importados e US$500 para produtos adquiridos no Free Shop no desembarque.

Porém, se as compras forem feitas em um Free Shop no exterior elas serão contabilizados na cota principal de US$500 junto com os outros produtos adquiridos no exterior. O valor excedente será tributado da mesma forma, em uma alíquota única de 50%.

Limite de compras no free shop no exterior

Vale lembrar que…

Mesmo os produtos dentro da cota de US$500 possuem um limite de compra. Alguns dos limites são:
  • 12 litros de bebida alcoólica
  • 10 maços de cigarro, contendo, cada um, 20 unidades;
  • 25 unidades de charutos ou cigarrilhas
  • 250 gramas de fumo
  • 20 unidades de bens (souvenirs e pequenos presentes), de valor unitário inferior a US$ 10,00 desde que não haja mais do que 10 unidades idênticas
  • 20 unidades de bens, desde que não haja mais do que 3 unidades idênticas
  • Reply
    Marielle
    2 de Março de 2015 at 14:54

    E pra quem mora fora e vai passar ferias no Brasil ,qual a cota pra presentes?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 18:10

      Olá Marielle,

      Segundo o site da Receita os “limites e condições aplicam-se inclusive aos bens trazidos por viajante não residente no Brasil, mesmo aqueles trazidos para presente”. Dessa forma a cota segue a mesma de US$500,00, ficando atenta aos limites de quantidade de itens específicos.

      Se quiser olhar detalhado no site da própria Receita esse é o link deles: http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira/viagens-internacionais/bagagens/isencao-de-tributos-sobre-a-bagagem

      Abraços congelantes do Mamute!

      • Reply
        Romy
        23 de Março de 2015 at 22:22

        Se me permite perguntar,os produtos do duty free do Brasil são do mesmo preço dos produtos do exterior? E as compras feitas dentro do avião,serão incluídas na cota também?
        Obrigada.

        • Reply
          Oficina de Inverno
          24 de Março de 2015 at 02:19

          Olá Romy! Depende do produto. Você encontra algumas coisas mais baratas no exterior do que no Duty Free aqui. As compras feitas no avião entram na cota, não em compras do Duty Free no desembarque 🙂 Abraços

          • artur raoul
            11 de junho de 2015 at 06:48

            Nada disso aqui o free shop enfia a faca. Nao tem nenhuma vantagem comprar aqui

        • Reply
          Joao
          12 de junho de 2015 at 11:26

          Ja viajei por mais de 30 paises e posso dizer com certeza que o dutyfree do Brasil é um dos mais caros do mundo. Quase nada vale a pena comprar.

      • Reply
        caio
        11 de junho de 2015 at 02:50

        Lembre-se da regra de um ano. Passado um ano no exterior, você tem imunidade tributária.

      • Reply
        Celia co
        28 de setembro de 2016 at 16:55

        Ola, moro no exterior ha 24 anos e felizmente nunca fui revistada… Mas assustada com a repercussao de um caso recente de uma idosa de 86 anos, residente, que passou 4 horas pra ter a bagagem liberada e pagou multa, resolvi olhar o site da receita federal.

        http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira/viagens-internacionais/guia-do-viajante/perguntas-e-respostas
        La diz que residentes no exterior estao isentos de ate 3,000 us dolares em bens pessoais. Como isto eh calculado eh outra estoria, mas nao bate com a informacao que vcs estao dando a rsidentes no exterior de bens de ate 500 us dolares…

    • Reply
      William Amaral
      24 de Março de 2015 at 21:05

      Dificilmente você sera revistada. A fila pra residente e diferente da fila dos turistas.

    • Reply
      Gwdyon
      25 de Março de 2015 at 16:33

      Pois é, mas ficou meio vago essa descrição de eletrônicos pra uso pessoal, qualquer eletrônico que NÃO seja câmera, notebook ou celular unitário não é mais considerado de uso pessoal mesmo comprovadamente? por exemplo um video-game que abri para usar e brincar durante a estadia da viagem, ou um acessório que eu comprovadamente trouxe para uma pesquisa de hardware como componentes de computador para uma empresa.

      • Reply
        Oficina de Inverno
        15 de Abril de 2015 at 11:53

        Olá Gwdyon,

        O vídeo game não passa como item pessoal, o acessório para uso de trabalho, se você estiver viajando a trabalho, também não costuma passar. Mas se você quiser tentar no desembarque provar, o critério subjetivo do fiscal pode ajudar. Mas pela regra esses itens não ficam considerados de uso pessoal.

        Abraços do Mamute!

        • Reply
          vanessa
          10 de junho de 2015 at 14:30

          Vi que o Ipad não é ‘uso pessoal’, mas se eu sair com meu celular e ipad do brasil e voltar com eles? corro o risco de ser taxada? não ficou claro..

    • Reply
      Marlise
      21 de agosto de 2015 at 12:24

      Olá Marielle,
      Brasileiros residentes no exterior sujeitam-se a duas cotas alfandegárias quando vão ao Brasil. Uma para os bens pessoais que vão e voltam com ele para o país de residência e outra para os bens que ficam no Brasil, como o caso dos presentes. Eu explico isto direitinho neste post, dê uma olhada quando puder:
      http://vivertrabalhareestudarnoexterior.com/alfandega-nao-residentes-dois-regimes/
      Abs, Marlise V. Montello

    • Reply
      Sonia
      15 de outubro de 2015 at 23:20

      A verdade é que moradores no exterior não tem a mesma cota de $500. http://meusroteiros.com/residentes-no-exterior-devem-ou-nao-declarar-seus-bens-quando-viajam-ao-brasil/

  • Reply
    Rafael
    4 de Março de 2015 at 14:33

    Muito bom o post, simples e esclarecedor. Tenho apenas uma dúvida: comprei um produto X em uma viagem anterior e não tenho mais o cupom fiscal. Levarei este produto comigo na viagem e é claro que corro o risco de ser taxado do jeito que as coisas estão. Como comprovar que eu já possuía o produto? pensei em tirar uma foto mas acho isso muito subjetivo.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 17:25

      Oi Rafael,

      Na ausência das nota fiscal você pode mostrar a Declaração Eletrônica de Bens de Viajante (e-DBV), realizada em viagens anteriores, como prova. Se não tiver ela nem a nota fiscal vale a pena tentar mostrar o seu uso, mas assim como as fotos fica subjetivo mesmo :/

      Abraços!

      • Reply
        Pedro Ferrari
        16 de Março de 2015 at 20:24

        Rafael, antes de iniciar a Viagem, vc pode fazer uma declaração sómente deste bem que esta levando, no aeroporto vá ao Posto da PF, e solicite o formulário ao agente que lhe atender, ou faça por meio eletronico, não terá problema na volta..segue o link..

        https://www.edbv.receita.fazenda.gov.br/edbv-viajante/pages/selecionarAcao/selecionarAcao.jsf

        • Reply
          Julio
          18 de Março de 2015 at 12:28

          Rafael, ja vi isto acontecer no aeroporto em Manaus, o que vale é comprovar o recolhimento do Imposto se o produto foi comprado no exterior, não interessa em que viajem, se tens algum produto importado ou trouxeste em outra viajem e não recolheste imposto te aconselho a não levar, vai correr risco pois ele vai entrar em tua cota de $ 500,00. Não vai atras de nenhuma sugestão, é fria, pela Lei até dentro do taxi a receita pode pedir comprovação da legalização do produto, não é porque ja entrou no Brasil uma vez que o produto está legalizado, não adianta declarar, tens que ter nota emitida no Brasil ou o recibo do Imposto.

        • Reply
          Clecio
          26 de Março de 2015 at 00:12

          A DBA ou declaração de baggem acompanhada foi finalizada há pelo meos 3 anos.

          Não existe mais declaração de saída do Brasil, e você deve levar a nota fiscal do produto ou comprovar que o mesmo já foi tributado anteriormente, informando o CPF para consulta ao sistema pelo fiscal.

        • Reply
          Andrea
          10 de junho de 2015 at 17:40

          Se for celular ou tablet tem o selo da ANATEL atrás!!! 🙂

          • Andrea
            10 de junho de 2015 at 17:40

            Se comprado no Brasil, digo…

      • Reply
        maria
        22 de Março de 2015 at 15:39

        Já aconteceu comigo. Quando voltei de LA, estava com um laptop que tinha comprado um ano antes em Miami. O fiscal pediu para eu abrir a capa e mostrá-lo. Fiz isso e expliquei que já era usado e que tinha comprado numa viagem anterior. A sorte é que o laptop estava meio riscado e ele percebeu que já estava usado mesmo e me deixou passar.

      • Reply
        Lu
        24 de Março de 2015 at 11:03

        No aeroporto, antes de sair do Brasil, voce pode fazer a declaracao do bem com a receita. Ja fiz isso uma vez e funcionou, assim voce ja sai do pais com o documento dizendo que ja possuia esse item e foi levado com voce na viagem.

        • Reply
          LUIZ
          9 de Abril de 2015 at 02:48

          Isso de declarar antes de sair do pais ja foi abolido. Não ha mais essa possibilidade

      • Reply
        Camila
        28 de Março de 2015 at 14:57

        Sem a declaração, nem a nota fiscal garante a isenção (até ela é subjetiva). Comprei um iPad mini numa viagem aos EUA em 2012. Em outubro/2014, retornando de uma viagem internacional, fui taxada no iPad, mesmo ele já não sendo mais fabricado e ter ficado claro que ele era meu é que estava (bem) usado. Apresentei a nota fiscal de 2012 (menos de $500) e me disseram que eu não comprovei que o produto entrou legalmente no Brasil (eu deveria ter me apresentado na receita em 2012, mesmo não tendo nada a declarar).

      • Reply
        Maria
        31 de julho de 2015 at 15:51

        não dá para declarar na hora da partida, como era antigamente?

    • Reply
      Manuella
      17 de Março de 2015 at 14:34

      Tira foto e posta no fb… Assim vc terá a data q tirou a foto, q seria anterior a data da sua saida do brasil

      • Reply
        Oficina de Inverno
        17 de Março de 2015 at 19:49

        Mas Manuella, essa é uma opção de tentativa, porque o item da foto pode ser um e comprei outro idêntico no exterior, por exemplo. Não garante, mas é sim uma forma subjetiva de tentar comprovar caso aceitem 🙂

    • Reply
      Paula
      20 de Março de 2015 at 12:10

      Foto com jornal do Brasil (mostrando a data) antes de ir viajar.

  • Reply
    sheila delgado
    6 de Março de 2015 at 00:53

    Tudo aumenta no nosso país menos a cota do viajante e ainda pioram as coisas é absurdo certas regras

  • Reply
    Tatiana
    6 de Março de 2015 at 02:01

    Nao entendi o final… so posso trazer 20 presentes?
    Eu queria trazer uns 50 objetos presentes (suverniers, cremes, acessórios ) q quero comprar na Dollarama no Canadá e sei que nunca passara de U$500. Eles vao me taxar?

    Obrigada

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 17:37

      Olá Tatiana,

      Na regra eles colocam o limite de 20 souvenirs/ presentes de até US$10. Mas acredito que presentes baratos como os do Dollorama não há problemas. A regra é não haver mais que 10 itens idênticos (ou mais de 3 idênticos, independente do uso, se o valor for superior a US$10). Para não causar muito transtorno basta variar os itens para não ter cara de revenda. Dificilmente eles vão implicar muito com os itens mais baratos se estiverem dentro da cota 🙂

      Abraços quentinhos do Iglu!

  • Reply
    Rodrigo
    7 de Março de 2015 at 14:58

    No caso de eu comprar no Free Shop quando desembarcar no Brasil 5 óculos diferentes será que é considerado como unidades idênticas e serei tributado?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 17:41

      Oi Rodrigo!

      Olha, sobre óculos o site da Receita não fala especificamente. Eles citam nos limites de 3 unidades os “relógios, máquinas, aparelhos, equipamentos, brinquedos, jogos ou instrumentos elétricos ou eletrônicos”. Acho que se os óculos forem diferentes não há problemas (porque se forem idênticos não pode pois passa a regra de 3 unidades). De toda forma, no próprio Free Shop eles costumam te avisar com certeza o que pode ou não.

      Se quiser olhar as regras pra Free Shop no site da própria Receita esse é o link: http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira/viagens-internacionais/viajantes/compras-em-loja-franca-duty-free-shop

      Abraços do Mamute!

      • Reply
        Mariana
        28 de Março de 2015 at 01:16

        Voltei de NY em novembro/14, desembarquei no terminal 3 do GRU, passei pelo RX antes do Duty Free. Acho que a grande preocupação não é o número de óculos no freeshop, até porque não se compra grandes quantidades!

  • Reply
    Carlos Jesus
    8 de Março de 2015 at 01:42

    Gente, é um absurdo este limite de $ 500 dólares, hoje com o dólar em 3 reais, não dá pra comprar nada. O governo poderia revisar este valor.

    • Reply
      Ana Pereira
      23 de Março de 2015 at 14:21

      Eu acho que , com o dollar a mais de 3,00 reais , vai ficar mais difícil de se gastar os $500,00 dólares ….
      Porém , concordo q esse limite deveria aumentar sim .

  • Reply
    Marcus Siqueira
    8 de Março de 2015 at 11:59

    Já está na hora de aumentar a cota de Us500,00 para no mínimo Us1.000,00 com cambio neste valor e a inflação em alta, 500 dólares não representa mais nada.

  • Reply
    Carla
    8 de Março de 2015 at 19:41

    Não li a matéria até o fim, pelo simples motivo que não achei a data da postagem, que validade há nisso? Isso é recente? Uma dica, colocar sempre a data da postagem…..

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 15:00

      Olá Carla! A matéria foi de 27 de novembro de 2014. A data só aparece na página inicial. Mas agora que você mencionou, obrigada pela dica! Vamos falar com o pessoal da programação para alterar e ter a data na matéria também. Realmente faz a diferença 🙂
      Abraços quentinhos!

  • Reply
    Tess
    8 de Março de 2015 at 19:43

    Eu moro nos EUA há muitos anos e tenho dupla cidadania. Visito meus filhos (3) e netos (5) uma ou duas vezes por ano, quando possível. E quero sempre levar presentes para toda a família. A cota de $500 dólares será também exigida dos expatriados? Por favor me informe. Obrigada,
    Tess

  • Reply
    Ramon
    8 de Março de 2015 at 20:07

    Palhacada iSso

  • Reply
    Magda futterman
    9 de Março de 2015 at 00:37

    Moro em Nova Iorque a 20 anos,sou diarista eu ganho muitas roupas dos meus clientes e toda vez que vou ao Brasil pago exesso das malas e as roupas são todas usadas,levo porque ajuda muito as pessoas com essas roupas,gostaria de saber se eu continuar levando essas malas eu vou continuar a pagar na alfândega ou não? Da última vez que estive no Brasil agente da alfândega disse que tenho que pagar usado ou novo eu disse a ela que isso não é justo porque é doação,mas Deus sabe como meu coração ficou ao entregar as roupas o que passei com a agente da alfândega me magoou muito mais depois Deus me deu uma felicidade enorme em ver várias pessoas felizes.agradeco desde já espero sua resposta. Que Deus os abençoe

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 18:04

      Olá Magda!

      É realmente uma pena. Mas para brasileiros que moram no exterior só há a isenção para roupas de uso pessoal e itens no valor de até US$500 (esse link do site da Receita especifica tudo certinho: http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira/viagens-internacionais/bagagens/isencao-de-tributos-sobre-a-bagagem) . Eles são mais flexíveis quando as pessoas voltam do exterior em caráter permanente, pois consideram o tempo em que permaneceram no exterior e a quantidade de roupas que acumularam nesse período.
      Espero ter ajudado!

      Abraços do Mamute!

    • Reply
      Luciana Richer
      10 de junho de 2015 at 05:19

      Eu largaria todas as roupas usadas na alfandega pra ver as caras da policia federal!

  • Reply
    Eduardo Gomes
    9 de Março de 2015 at 01:06

    Gostaria de informações sobre envio pelo aeroporto, pois minha cunhada está nos EUA e gostaria de nos enviar presentes.

  • Reply
    Rafael
    9 de Março de 2015 at 04:32

    Olá, vou ficr 1 ano nos EUA. Gostaria de saber se eu comprar um desktop ele será taxado, sendo que eu “morei” lá. Obrigado

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 15:28

      Olá Rafael!

      Se você ficar mais de um ano e comprovar que o desktop era para trabalho e uso pessoal enquanto você estava por lá ele não será taxado no retorno. Segue a regra para quem ficou mais de um ano e será isento 🙂

      Abraços do Mamute!

      • Reply
        Fernanda Fonseca
        28 de Março de 2015 at 00:27

        Esteja certo de que será 1 ano mesmo, porque inferior a isso vão querer taxar. Você deve compravar também, de alguma forma, que você residiu por 1 ano no exterior. Você pode solicitar ao consulado americano de LA um documento que comprove isso.

      • Reply
        Luiz
        28 de Março de 2015 at 15:17

        Olá!Estou no programa Ciencias sem fronteiras e terei retorno antecipado, estou nos EUA e volto para o Brasil com 11 meses de intercâmbio. Nessas condições posso contar com o bom senso alfandegário? Afinal, recebemos uma m valor do governo específico para a compra de um computador. Voltarei também com um violão, pois toco por hobby e pratiquei durante o intercâmbio. Como isso é levado em consideração? Porque de outra forma teria que ter deixado de tocar por 11 meses? Obrigado!
        Parabéns pela página!

        • Reply
          Oficina de Inverno
          15 de Abril de 2015 at 11:47

          Olá Luiz,

          Apenas quem fica por um período superior a 1 ano possui o critério diferenciado. 11 meses não constitui exceção e infelizmente os seus itens entram para a cota dos US$500, ficando a mercê de fiscalização caso você não os declare. É ruim, também já morei fora no intercâmbio e entendo o que você está falando, mas a legislação não prevê flexibilização para esse tempo, a não ser que o fiscal na hora deixe passar, mas não confiaria muito nisso, senão a multa é maior…

          Abraços do Mamute!

  • Reply
    Manoel lino
    9 de Março de 2015 at 11:37

    Muito bom essa matéria,principalmente para quem viaja!!!

  • Reply
    Sergio gugelmin
    9 de Março de 2015 at 12:17

    Acho que vale esclarecer que pecas para veículos, para uso particular são proibidos de entrarem via bagagem.
    Obrigado
    Sergio. Gugelmin

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 14:40

      Verdade, Sérgio! Boa lembrança. Peças de veículos, ainda que para uso particular, são taxadas mesmo que abaixo da cota. Obrigada pela observação!

      • Reply
        Rodrigo Ramos
        24 de Março de 2015 at 21:40

        Na verdade as peças de carros, motos, lanchas e aviões não podem entrar como bagagem, nem mesmo pagando os impostos. Pela resolução mercosul o que acontece é o perdimento.

      • Reply
        Marconi Vilarim
        19 de Fevereiro de 2016 at 22:15

        Estou de viagem ao Brasil e vou passar um mes pois moro nos EUA e tenho Visa. Queria levar Meu Iphone 6 que so funciona nos EUA (bloqueado) e mais 3 usados iphones e mais antigos (Desbloqueados) para doar a pessoas de minha familia. Nao tenho certeza se levaria apenas dois, com a desculpa de um ser pra me comunicar quando no Brasil, ou devo declarar e pagar nao sei quanto, ou nao falar nada e levar na minha bagagem acompanhada? Neste caso tambem teria que levar notas fiscais dos fones ou isto nao interessa?

  • Reply
    Kellen a.b.
    9 de Março de 2015 at 12:41

    e para quem nao mora no Brasil? Soh vai a passeio? Nao pode entrar com seus pertences sem pagar imposto? Que absurdo!

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 15:22

      Olá Kellen,

      Se o viajante não mora no Brasil e estiver a passeio pode sim entrar com seus pertences se comprovar que são de uso pessoal dele. Assim, notebook, celular, filmadora e demais eletrônicos que a pessoa esteja usando durante a passagem pelo Brasil não serão tributados.

      Abraços!

  • Reply
    A nova fiscalização da Receita para passageiros de vôos internacionais | Café Viagens
    9 de Março de 2015 at 14:45

    […] Oficina de Inverno fez um guia com tudo o que você precisa saber sobre o limite da alfândega para COMPRAS no […]

  • Reply
    Aida Saraiva
    9 de Março de 2015 at 15:14

    A gente que mora no exterior entao, nao vamos poder levar coisa usada pra nossa familia e pra quem e pobre e precisa? Roupas boas, sapatos e outras coisas. Antes eu levava uma mala so de coisa pra dar para os outros, agora nao da mais. Isso tudo por causa dos ricos que fazem extravagancias de compras. Mais uma vez o pobre pira! Fazer o que???

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 18:05

      Pois é, Aida, infelizmente as cotas máximas dos bens afeta até mesmo quem mora no exterior. :/

      Abraços do Mamute!

    • Reply
      aeioutil
      26 de Março de 2015 at 04:59

      Aida: pobre que mora no exterior e voa periodicamente ao Brasil trazendo itens de “qualidade” para seus entes queridos… vamos rever esse conceito de “pobreza” porque está meio desatualizado.

      Além disso: roupa boa não existe no Brasil?
      Que espécie de extravagâncias que ricos fazem para ter motivado a receita a criar essas regras? Pergunto isso porque sempre achei que “rico” fosse o sujeito que tem dinheiro suficiente pra não se preocupar em quanto imposto seria cobrado… vai lá e paga.

      • Reply
        Joselita
        25 de Fevereiro de 2018 at 18:54

        Por exemplo, liquidaçao: conjunto touca e cachecol, bonitos e com qualidade, em lã de Alpaca por 3euros. Roupas sem trabalho escravo na promocao por precos acessiveis e que vao durar mais de 2 anos sem desbotar,furar,estragar o ziper. (25euros) 100 reais semanais de supermercado: incluindo produtos de higiene, limpeza, mimos extras como chocolate e vinho,velas, comida nao transgenica, sem agrotoxico e carne organica. Trabalhar num cafe, ganhar 1200e por mes, gastos fixos como aluguel, internet, calefacao transporte =600euros . Passagem de ida e volta ao brasil 600e. Juntar dinheiro e ir ao Brasil usando programa de pontos e passagens em promocao. Isso é a vida de uma pessoa classe media baixa na europa.

  • Reply
    celia vieira
    9 de Março de 2015 at 17:48

    gostaria de saber mais sobre suplementos.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 17:44

      Olá Celia!

      A regra para suplementos, desde que autorizados, segue a regra geral: não pode passar dos US$500 e não podem haver mais de três itens idênticos.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    ubirajara moura
    9 de Março de 2015 at 20:50

    1) O peso da bagagem, local de origem do vôo e tempo de duração da viagem serão algumas informações que passarão a ser analisadas no retorno do viajantes. ISSO ELES JÁ TEM? ENTÃO NÃO SERIA ESSE O CRITÉRIO. 2) Porém, se ultrapassar essa cota os produtos deverão ser especificados na Declaração Eletrônica de Bens de Viajante (e-DBV) e serão tributados a uma alíquota única de 50%, aplicada sobre o valor excedente. Caso sofra fiscalização e não tenha feito a e-DBV, o viajante será multado em 50% do valor excedente à cota de isenção, mais o imposto devido. AQUI TAMBÉM NÃO MUDOU NADA. QUEM TEM DINHEIRO PAGA E PRONTO.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 15:25

      Olá Ubirajara,

      Segundo a nota que publicaram essas informações não eram analisadas antes para fazer o “pente fino” na Alfândega. Ainda que eles já tivessem esses dados eles não eram cruzados para detectar possíveis formas de driblar a alfândega. Quanto a alíquota, ela de fato não mudou, como falamos na reportagem. A única mudança anunciada foi na forma de controle, colocamos os demais dados apenas para informar os viajantes 🙂

      Abraços!

  • Reply
    janice
    9 de Março de 2015 at 22:16

    com tanta bandidagem no Brazil, a Receita esta preocupada com os viajantes. Gente sem conexao.

  • Reply
    Celmara Varella
    9 de Março de 2015 at 22:25

    Meu filho tem um ipad que ganhou faz 3 anos mas não tem a nota fiscal. Como fazer a Declaração de Bens do Viajante?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 17:55

      Olá Celmara,

      Além da NF a outra forma segura de comprovar que o iPad é antigo é uma Declaração Eletrônica de Bens de Viajante (e-DBV), realizada em viagens anteriores. Se também não tiver vale apostar na inspeção dos fiscais, que costumam olhar a data do item, documentos, coisas que comprovem que já estava em uso antes. Não é garantido, mas costuma passar!

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    André Freitas
    10 de Março de 2015 at 04:42

    Na parte do FreeShop, vocês esqueceram de mencionar que se comprar algum item já no FreeShop de ida, essas mercadorias estarão inclusas nos U$500,00 da cota na volta se parado na Receita Federal na volta para o Brasil.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 14:44

      Verdade, André. É importante mesmo lembrar que o FreeShop de ida já cota dos US$500, assim como os produtos comprados no FreeShop no exterior. Apenas os itens no FreeShop no desembarque na volta tem uma cota extra de US$500

  • Reply
    Aline Collares
    10 de Março de 2015 at 22:29

    E se for laptop, Mac ou outro computador? É isento? Obrigada!

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 14:57

      Olá Aline! a Receita não considera laptop item de uso pessoal. Isso significa que se passar da cota de US$500 e tiver sido comprado no exterior ele será sim taxado no valor que exceder.
      Abraços quentinhos!

  • Reply
    Silvia
    11 de Março de 2015 at 01:28

    Eles não sabem mais como prejudicar quem tem a chance de viajar para o exterior… Ao invés de verificar bagagens de quem viaja a laser, deveria fiscalizar a entrada de drogas e armas…

    • Reply
      aeioutil
      26 de Março de 2015 at 05:04

      Silvia, não confunda alhos com bugalhos:
      ffiscalizar drogas e armas ilegais é papel da Policia Federal. A Receita Federal só cuida das coisas que podem ser tributadas.

  • Reply
    Luci Waldmann
    11 de Março de 2015 at 03:25

    O site é muito bom, interessante!

  • Reply
    Malu Sampaio
    11 de Março de 2015 at 11:55

    E quais serão as novas regras para brasileiros que moram no exterior indo de viagem de férias ao Brasil?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 15:26

      Olá Malu!

      Não foram anunciadas mudanças de regras para os brasileiros que moram no exterior. Segue tudo como já era estipulado antes, sem problemas! 🙂

      Abraços!

  • Reply
    Luciana
    11 de Março de 2015 at 15:49

    Olá!
    Ganhei do meu pai um Ipad, já faz mais de um ano, acho que foi comprado fora do Brasil, porém, não tenho como conseguir a nota, pois, meu pai faleceu no final de 2014. Como fazer para levá-lo quando viajar? Corro algum risco na alfândega?
    Não dá para ver que ele está sendo usado há muito tempo?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 18:18

      Olá Luciana,

      Primeiramente, meus sentimentos pelo seu pai :/
      Quanto a garantia de não incidir tributação ela só é certa com a Nota Fiscal ou com ma Declaração Eletrônica de Bens de Viajante (e-DBV) realizada em viagens anteriores. Se você também não a possuir vale apostar na inspeção dos fiscais, que costumam olhar a data do item, documentos salvos, coisas que comprovem que já estava em uso antes. Não é garantido, mas costuma passar!

      Abraços do Mamute!

    • Reply
      Thais
      25 de Março de 2015 at 16:33

      um ipad custa menos que 500 dolares. eles não vão encucar com o teu ipad. não se preocupa…podes viajar de boa com um iphone, um ipad etc pq são considerados uso pessoal

  • Reply
    gringo
    11 de Março de 2015 at 16:02

    ola,

    Uma dúvida que eu tenho, como são as regras para um cidadã americano ? Já que não passamos pela mesma fila dos residentes brasileiros? Digo isso porque sempre sempre viajo para o Brasil é nunca fui parado em nenhuma das vezes, sorte
    Minha ? Ou realmente gringos não tem o mesmo tratamento que vocês brasileiros?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 18:13

      Olá Gringo,

      Eles de fato costumam ser menos rigorosos na fiscalização para quem mora no exterior. Porém, para presentes e itens novos no geral o site da Receita afirma que os “limites e condições aplicam-se inclusive aos bens trazidos por viajante não residente no Brasil, mesmo aqueles trazidos para presente”. Assim, para a isenção o tratamento é o mesmo, de benéfico apenas os itens que são permitidos para quem mora no exterior há mais de 1 ano (móveis, equipamentos profissionais, roupas etc.).

      Abraços do Mamute!

      • Reply
        Izzy
        25 de Março de 2015 at 01:52

        Tambem sou cidada Americana e Passo com meu Esposo pela fila de estrangeiros, Sempre levamos malas Cheias no limite do peso MAis 1 laptop com cada, 2 iPhones Como Cada um e 1 iPad PrA Cada tambem. Nunca falaram nada nem nos pararam NA alfandega. Ja Qnd Meus familiares vem nos visitar, Tiram até as calcinhas e cuecas da Mala deles para cobrar imposto. Ridiculo Esse governo Brasileiro!

  • Reply
    Mariana
    11 de Março de 2015 at 17:32

    Me falaram que carrinho de bebê não é taxado, independente do valor, entra como uso pessoal. Vocês sabem se essa informação está correta ?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      11 de Março de 2015 at 18:23

      Olá Mariana,

      Se você estiver viajando com o bebê sim, pode voltar com o carrinho (desde que apenas um) para uso pessoal. Porém, se estiver formando o enxoval o carrinho não conta como uso pessoal e precisa seguir a cota de US$500,00.”

      Espero ter ajudado!
      Abraços do Mamute 🙂

  • Reply
    David
    12 de Março de 2015 at 02:55

    nossa Ta um horror passei por isso em fevereiro. Eles estão pegando duro.

  • Reply
    Julia
    12 de Março de 2015 at 13:46

    Olá, ótima matéria! Só uma coisa não ficou muito clara pra mim, os bens de uso pessoal, que estão isentos de taxas, precisam ser declarados também, mas não entram na cota ou não precisam ser declarados?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      13 de Março de 2015 at 19:10

      Olá Júlia,

      Os bens que são isentos não precisam ser declarados, tudo tranquilo 🙂

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Clara
    13 de Março de 2015 at 04:24

    E sobre bolsas que já foram adquiridas em outras viagens e não tem mais nota fiscal nem declaração?? Podem ser taxadas mesmo que estejam em uso? Obrigada pelo post! Ajudou bastante!

    • Reply
      Oficina de Inverno
      13 de Março de 2015 at 19:08

      Olá Clara,

      Sim, eles tem essa possibilidade se acharem que está em uma quantidade exagerada, como não sendo apenas a que você está usando levando os documentos. Inclusive já teve um caso da Roberta Whately que pagou o imposto pelas bolsas que levava, mesmo as bem antigas e que levou para usar durante a viagem em suas produções (ela conseguiu o reembolso de parte do que pagou quando conseguiu que as lojas reemitissem a nota fiscal, coisa difícil de ocorrer geralmente). Alguns fiscais podem entender que eram de uso pessoal e antigas, mas não é regra.
      Espero ter esclarecido!

      Beijos do Mamute!

  • Reply
    Socorrinha
    14 de Março de 2015 at 15:50

    Olá,eu moro ma Europa a 11anos sou casada aqui e tenho 3 filhos,estamos indo mora no Brasil dentro de 3meses,quer dizer que não podemos levar os brinquedos, roupas e sapatos das crianças?entre eles algumas coisas de marcas como sapatos e roupas usadas das crianças? E eu também não posso levar as minhas roupas, sapatos,e perfumes de marcas usadas? Muito grata pela a resposta

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:52

      Olá Socorrinha,

      Se você mora há 11 anos na Europa e está com mudança para o Brasil há exceções nesses valores.
      Olhe essa primeira parte no site da Receita sobre viajantes em situações especiais: http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira/viagens-internacionais/viajantes/viajantes-em-situacoes-especiais

      Além disso, os fiscais analisam questões como quanto tempo a pessoa morou fora o que justifica a quantidade de roupas e brinquedos que ele está trazendo na mudança. De forma geral com roupas e coisas pessoais não costuma haver muito problema, se houver seriam mais em bens eletrônicos, relógios, itens repetidos etc.

      Espero ter ajudado!

  • Reply
    Carlos da Mata
    14 de Março de 2015 at 16:20

    Ola Clara,

    Faço minha primeira viagem para os EUA agora dia 22/03. Tenho um Ipad que comprei em Manaus em 2012 e não tenho mais a nota fiscal. É um risco levá-lo em minha viagem pois posso ser taxado quando retornar ao Brasil?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:58

      Olá Carlos,

      Se você não tiver a NF e nem a guia de pagamento da taxa em uma viagem anterior, pode sim ser taxado. Se o iPad é de 2012 pode ser que eles não liguem, mas não é garantido que não será taxado caso seja fiscalizado.

      Abraços do Mamute e boa viagem!!

    • Reply
      Vi
      10 de junho de 2015 at 01:36

      Se foi comprado em Manaus deve ter um selo da Anatel embaixo. Creio que não multarão.

  • Reply
    Juliana
    14 de Março de 2015 at 19:06

    Olá, gostaria de saber se ao embarcar (já está bem usada) e desembarcar com um par de botas italianas nos pés (vou fazer o Caminho de Santiago) terei que comprovar com a NF ou pagar alguma coisa?
    Grata.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:33

      Oi Juliana,

      não tem problema. Se você está usando a peça eles não questionam, pois fica claro que é de uso pessoal, ainda mais se já tiver sido usada antes. Seria diferente se você tivesse outras botas na mala em maior quantidade (3, 4), o que chamaria atenção. Mas de forma geral, pode embarcar e desembarcar com as botas nos pés que não precisará pagar nada.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Liesel
    14 de Março de 2015 at 20:45

    É verdade que vão pesar sua mala antes de sair do Brasil e depois quando voltar? Vou ficar um mês nos EUA e queria levar pouca roupa daqui, comprar a maioria lá.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:56

      Oi Liesel,

      Eles não divulgaram a data que iriam começar a usar essa forma de fiscalizar, disseram apenas que seria no começo desse ano. Na verdade eles não vão pesar, vão apenas pegar essas informações com a própria companhia aérea (que pesa sua mala no check in) e cruzar as informações exatamente para detectar pessoas que compraram muito. Mas o peso não é o critério único, o que pesa é comprar mais que US$500 e itens repetidos, como explicado no artigo. Dessa forma, mesmo sem o critério do peso se você for fiscalizadas com compras acima desse valor pode ser taxada.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Michele morais
    14 de Março de 2015 at 23:08

    Se eu for com pouco peso e voltar com muito peso devido compra de roupas para uso pessoal, sera tributado?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:35

      Oi Michele,

      Depende muito. O esquema do peso é o que a Receita Federal quer começar a implementar para fazer a peneira de quem fiscalizar no desembarque. Mas ele não é o fator único (e ainda não foi divulgada a data exata que ele começará a ser posto em prática). Independente do peso, o que vai importar para ser taxado são os limites de peça e valor e que falamos no post 🙂

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Mariana
    15 de Março de 2015 at 01:23

    olá!

    Minhas filhas uma de 3 anos e outra de 1 ano tmb entra na cota de U$ 500???

    tks

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 19:44

      Olá Mariana,

      Crianças tem direito a mesma cota de US$500, mas lembre-se que nem todos os itens podem passar como isentos por serem de “uso pessoal” para elas, apenas o que realmente for adequado para o uso na idade. E também que não é permitido unir as cotas (Ex: comprar um notebook de US$900 e dizer cabe na cota de duas pessoas juntas) 🙂

      Abraços gelados!

      • Reply
        sergio savarese
        28 de Março de 2015 at 00:38

        Não seria diferente de outros órgãos onde campeia a vontade de estrangular as zelites e a classe media. Falar em free shop é falar
        em lojas onde o atraso dos produtos só não é maior do que os preços…

  • Reply
    Gabriela
    15 de Março de 2015 at 03:06

    Quero viajar e comprar um iPad novo e um novo notobook , ambos são para meu uso pessoal , para não ser taxada então tenho que usá-los na viagem ?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:36

      Oi Gabriela,

      Mesmo se usados durante a viagem ele pode ser taxado no valor que ultrapassem o US$500, pois notebook e iPad não entram na isenção de itens pessoais.

      Saudações do nosso Iglu!

  • Reply
    Fatima Lopes
    15 de Março de 2015 at 17:24

    Levei vinhos no valor de 3mil reais em duas malas, acompanhada de outra pessoa. Cada mala ontinha 12 garrafas. Resolvi arriscar e nao declarei. Confiscaram as duas malas e nao querem devolver nem com pagamento tributario. Agente da Receita Federal nos intimidou e ainda pegou meu passaporte americano e copiou todas as informacoes. Ja ou i dizer que eles nao podem se apossar do passaporte americano, sendo que tenho o brasileiro tbm. Eles disseram que posso entrar com re curso mas vou perder tempo se eu o fizer. Existe outra maneira que poderia reaver os vinhos?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:45

      Olá Fátima,

      Não sei te informar ao certo se há outra forma, pois se não houver ultrapassado a cota de 9 litros de vinho (12 garrafas de 750ml) a regra é que você poderia sim reaver os vinhos mediante o pagamento do imposto e da multa (por não ter declarado). Eles deveriam ter te dado esse valor a ser pago logo no desembarque. Acho que deve haver uma forma de você pagar esses valores e reaver as garrafas.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Norberto
    15 de Março de 2015 at 18:05

    Capacete de moto pode trazer?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      17 de Março de 2015 at 19:47

      Olá Norberto,

      Capacete de moto pode sim, assim como acessórios, e entra na cota dos US$500.
      O que não pode são as peças de moto.

      Abraços!

      • Reply
        victor
        25 de Março de 2015 at 01:04

        Capacete tem que ver por causa do selo do inmetro. Se eu não me engano capacete no Brasil só pode ser usado se tiver selo do Inmetro. Portanto não pode trazer.

  • Reply
    Rosilene Laura
    15 de Março de 2015 at 23:36

    Olha meu filho tem um tablet samsung e eu tenho celular Xperia z1 que meu marido mandou do exterio, corro risco e uma máquina fotográfica profissional
    Poder ser taxada ou isento??

  • Reply
    Rosilene Laura
    15 de Março de 2015 at 23:37

    Olha meu filho tem um tablet samsung e eu tenho celular Xperia z1 que meu marido mandou do exterior, e uma máquina fotográfica profissional
    Poder ser taxada ou isento??

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 19:17

      Olá Rosilene,

      os itens foram enviados pelos Correios? Se sim podem ser taxados na hora que chegarem e forem fiscalizados.

      Abraços!

  • Reply
    Marcelo Rodrigo
    16 de Março de 2015 at 01:06

    O Brasil é uma piada de mau gosto. Só fazem algo pra “apertar o cerco” contra o cidadão comum! Poderiam fazer isso – e muito mais – em Brasília, paraíso da bandidagem brasileira. Fico impressionado com a “eficiência” na hora de cobrar (leia-se tomar) impostos! Algo que seja realmente bom e útil pra população nada! O Brasil é um país de primeiro mundo pra aumentar e arrecadar impostos (como se não fossem poucos), e pior que a Etiópia na distribuição de renda, na Saúde, na Educação, etc. Uma sonora vaia para os nossos governantes!!

  • Reply
    ro-zi-linda@hotmail.com
    16 de Março de 2015 at 10:37

    Mais se nao podemos levar algumas coisas a mais do que comprador em lojas para levar,porque se comprar no free shop pode ? Acho que deveria ser o mesmo. …

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:53

      Não sei ao certo o porque Rozi, hehe, mas concordo que é uma lógica estranha. Acaba que você leva US$1.000 de todo jeito se aproveitar a cota do Free Shop

  • Reply
    Elizandre maciel
    16 de Março de 2015 at 11:42

    ola, moro na França a 6 anos tenho autorização para morar e trabalhar mas nao tenho dupla cidadania, sou casada tenho minha vida aki possuo ipad e iphone, viajo ao Brasil para visitar minha família como fica regra terei q pagar por ter esses produtos q sao de meu uso pessoal

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 12:29

      Oi Elizandre!

      Basta provar que são seus de uso pessoal (apneas um item de cada, você já tem há alguns meses, tem documentos e fotos nele) e que você está vindo ao Brasil apenas para férias. Nesse caso não precisará pagar o imposto.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Claudia Pinto
    16 de Março de 2015 at 12:18

    Cada vez tenho mais vergonha desse país, de Corruptos. …
    Não basta o rombo
    Agora vivemos fora e n temos direito de agradar a família. ..
    Levar presentes. .
    Quer dizer quer nos obrigar mos a gastar ai….
    Com as tão caras …
    Isso que chamo de Patria Amada…
    Onde só os politicos que tem poder…
    E rege as leis a favor do bolsos deles

    Vergonha de ser Brasileiro…
    Meu coração ja não sente nd…

  • Reply
    Nayra
    16 de Março de 2015 at 12:58

    Olá gostaria d saber ql procedimento tomar ganhei uma orvelok nova e vou comprar um carrinho d bebê no valor d uns 500 euros vc acha q poderei ter problema pra entrar no Brasil? Obs: viajarei só sem criança.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 19:13

      Olá Nayra,

      A overlok é considerada como item seu, independente de ser presente, e entra na cota dos US$500. Assim, junto ao carrinho, ultrapassa a cota de US$500 e pode ser tributada com multa caso não seja declarado. Lembrando que caso você não tenha a nota fiscal para comprovar o valor do item eles buscam pelo preço desse item na internet e aplicam o valor que encontrarem, podendo até mesmo ser maior do que o você pagou.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Rogerio
    16 de Março de 2015 at 14:51

    Vivo nos EUA/Florida a 18 anos e tenho dupla cidadania Estarei indo ao Brasil em maio de 2015 e vou ficar la por 10 dias, depois retorno p/ Florida novamente. Durante a semana que estarei no Brasil eu nescessito levar o laptop de trabalho que nao e meu e sim da empresa para qual trabalho pois vou trabalhar remotamente durante a semana que vou estar no Brasil.. Tambem estou pensando em levar minha camera fotografica “GoPro4” que esta usada. Ambos aparelhos vao voltar comigo p/ os EUA.. Tem algum problema nisso ou que devo fazer?

    Obrigado

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 19:10

      Olá Rogério,

      Não tem problema nenhum. Se você vive na Flórida e está vindo ao Brasil passar férias basta comprovar que o notebook é usado para trabalho e a câmera é de uso pessoal. Se aplica como se você fosse um “turista” e está trazendo esses itens como parte da sua bagagem pra uso. Não será taxado 🙂

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Kamila
    16 de Março de 2015 at 15:41

    ola gostaria de saber se tem algum problema levar chocolates pois comprei muitos chocolates ! E outra pergunta eu tenho um bebê e comprei muitas papinha pra e como vou viajar vou levar na minha mala tem algum problema?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      16 de Março de 2015 at 19:21

      Olá Kamila,

      se você está levando as fraudas para o período de duração da sua estadia no Brasil e o seu bêbe estiver viajando com você não há problema. Ainda que conste que os itens idênticos não devam ultrapassar 3, sendo esses para uso durante a viagem ficam isentos.
      Quanto aos chocolates é preciso ficar atenta pois a regra é não haver mais que 10 itens idênticos (ou mais de 3 idênticos, independente do uso, se o valor for superior a US$10).

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Kamila
    16 de Março de 2015 at 15:44

    Só lembrado são aquelas papinha que é dentro de um pote de vidro !!! E Tbm Conprei muitas fraudas descartável pra levar pois aí no Brasil custa muito caro moro Na Europa e vou passar minhas férias ai posso levar tudo isso

  • Reply
    Miriam
    16 de Março de 2015 at 20:07

    Essas informaçoes pra mim nao ajudam em nada pq a receita sempre teve regras mas na pratica a maioria dos fiscais fazem o q querem e eh muito comum, alem do abuso de poder, humilharem as pessoas, indeoendente delas estarem acima da cota. Lamentavel!

    • Reply
      Guilherme
      21 de Março de 2015 at 15:00

      É verdade Miriam, em janeiro fui a Vegas como guia e quando retornei, assim que passei pela PF percebi que tinha uma pessoa me acompanhando em todo lugar que eu ia, quando fui pra fila esse senhor colocou o distintivo e me pediu pra ir na fila do Raio-X. Ai todo o problema começou, comprei 2 iPhones, 1 eu estava usando já e outro lacrado, também tinha um iPad que eu levo pra postar as fotos dos viajantes nas redes sociais, mais algumas roupas e uns suplementos (todas sem etiquetas e os suplementos abertos pois eram pra consumo próprio). Depois do inspetor abrir tudo, tudo mesmo, até os bolsos das calças, dos shorts, viu por dentro dos tênis, me fez entrar em uma sala e me revistou, disse que mesmo eu sendo guia não tinha fundamento eu levar um iPad para esse tipo de trabalho nem trazer 2 iPhones. Resultado tributou tudo, inclusive as roupas que eu comprei fundamentado que 1 iPhone já ultrapassava a cota.
      Eles nos tratam como bandidos, e foi bem claro em suas palavras “aqui se tiver eletrônico não declarado vai pagar imposto sobre tudo o que tiver trazendo.”
      Não adianta aumentar a fiscalização enquanto as autoridades acharem que seu distintivo é sinônimo de superioridade. Nada mudará até eles entenderem que sua função é a de previnir o contrabando e descaminho como polícia aeroportuária.

  • Reply
    ana
    19 de Março de 2015 at 05:26

    Simples agora levo tijolos na mala nos vôos de ida

  • Reply
    elemar Garcia
    19 de Março de 2015 at 16:54

    Quero saber se eu sair do Brazil com mais da cota estipulada eles vão me examiner ou como vão saber.
    Tenho residencia nos USA.
    Thanks, E. Garcia

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 02:16

      Olá Elemar, se por acaso eles podem sim fiscalizar suas malas se suspeitarem de algo, inclusive bolsas. Não sei exatamente como eles podem examinar, mas podem fiscalizar se desejarem.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    elemar Garcia
    19 de Março de 2015 at 16:58

    Digo ; Cota estipulada em dinheiro ( Cinco mil Dollars ou em R$)

  • Reply
    João Pedro
    20 de Março de 2015 at 02:51

    Qual a quantidade máxima permitida para perfumes? Se os perfumes estiverem usados, eles entram na cota dos $500?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 02:17

      A regra é a mesma para itens no geral, João Pedro:) Mesma cota, tem os limites de itens idênticos e será subjetivo o que entrará na cota de pessoal ou não.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Walter
    20 de Março de 2015 at 13:43

    O PT sozinho consegue combater a importação de produtos muito mais que toda a receita federal e aduana. Colocou o dólar turismo a R$3.65…

  • Reply
    Leandro macedo
    20 de Março de 2015 at 13:45

    Duas coisas ridículas:
    1 – Cota separada para freeshop, pq nao fazem uma só cota para tudo? estão favorecendo meia dúzia de lojas do aeroporto…
    2 – Como que IPAD e notebook ainda não são considerados item pessoal? ridículo isso, hoje em dia é cada vez mais normal pessoas viajarem com estes itens…

  • Reply
    Tom
    20 de Março de 2015 at 17:21

    Boa tarde,

    Dúvidas… Instrumentos musicais comprados no exterior são taxados? Se eu comprar um instrumento e fizer algum trabalho com ele no exterior eu estarei isento?
    Agradeço pela atenção!

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 14:15

      Olá Tom,

      Não encontrei nada a respeito de instrumentos musicais especificamente no site da Receita… se alguém souber, vamos aduar 😉
      Mas se o instrumento custar até US$500 você pode usar a sua cota para trazé-lo sem imposto. Acima disso que tenho dúvidas

  • Reply
    orlando da silva
    21 de Março de 2015 at 04:57

    Ja vi muito senador levando um monte de muamba e s receita nao barrou nada e ainda deixou o motorista do senador entrar ns area restrita pars carregar as mslas com as muambas do senador e a receita nao fez nada que vergonha devser brasileiro. Moo

  • Reply
    Leonardo Jose Sebba
    21 de Março de 2015 at 15:52

    Sobre o item de uso professional tenho um argumento sobre isso quanto a maquinas fotográficas, segundo o normativo da receita federal, o viajante pode trazer. Consultei a receita e a resposta abaixo :
    A orientação a ser seguida é a que consta na citada Instrução Normativa, que não especifica e nem restringe o tipo observando-se, conforme § 1º do art 2º:
    “Os bens de caráter manifestamente pessoal a que se refere o inciso VII do caput abrangem, entre outros, uma máquina fotográfica, um relógio de pulso e um telefone celular usados que o viajante porte consigo, desde que em compatibilidade com as circunstâncias da viagem” Ou seja, foram efetivamente utilizados durante a viagem.

    Sequer é mencionada o uso professional nessa situação porque não existe parâmetro para vc diferenciar uma maquina comum, da semi-professional ou ate mesmo a professional.

    Então isso não me impede desde que tenha usado em minha viagem, e não fins comerciais.

  • Reply
    Eduardo Bastos
    21 de Março de 2015 at 20:08

    A GoPro entra como câmera (produto isento)?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 02:10

      Olá Eduardo,

      A GoPro entra na categoria de câmera sim 🙂

  • Reply
    thiago
    21 de Março de 2015 at 21:15

    receita fedral…o unico orgao do governo que funciona perfitamente!!! porque sera?!!!

  • Reply
    evandro thome Ferrreira
    22 de Março de 2015 at 01:08

    Gostaria de ter no meu email

  • Reply
    Deborah
    22 de Março de 2015 at 17:52

    Vou ficar 10 dias na Tailandia. Quero comprar algumas panelas lá e usá-las pra cozinhar algo pro meu bebê…. corro risco de ser taxada na volta por causa de panelas?? Grata.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 02:21

      Olá Deborah,

      Não há problema se estiver dentro do valor estipulado da cota 🙂

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Luciano Rocha
    22 de Março de 2015 at 23:03

    Boa tarde… será que alguém pode me ajudar? Vou para uma prova de ciclismo na califórnia no mês de Julho/2015 … Pretendo comprar minha bike de competição por lá, ela custa em torno de $ 2200,00. Será que nesse caso entra naquele lance de bens de uso pessoal… ou mesmo tendo utilizado a bike lá por vários vezes terei que pagar imposto?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 02:35

      Olá Luciano,

      Não tenho certeza pois é um caso específico, mas meu tio participa de provas de ciclismo no exterior e ele sempre tem que declarar quando compra uma nova. Não sei se por precaução apenas, mas acho que seja a regra mesmo. Vale a pena tentar algo mais detalhado de informações 🙂

  • Reply
    Fabiola
    23 de Março de 2015 at 17:49

    Estou levando 6kits de shampoo condicionar e creme tenho q declarar e vou pagar por isso?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 02:21

      Olá Fabiola,

      Se esses itens somados aos demais que você está levando não passarem do valor da sua cota, não precisa declarar. Dependendo do valor entra na regra de itens idênticos, mas se for só isso dificilmente terá problemas.

      Abraços!

  • Reply
    Kleber
    23 de Março de 2015 at 22:10

    Tenho ipad fabricado e comprado no Brasil, neste caso terei que levar a NF também? Mesmo que no aparelho esteja marcado que é produto fabricado aqui?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 14:17

      Olá Kleber,

      Se for fabricado aqui acredito que não precise, ainda mais se já estiver usado. Mas se tiver a NF leve com você, nunca é demais 🙂

      • Reply
        Mariana
        28 de Março de 2015 at 01:24

        IPads e iPhones fabricados no Brasil tem um “Anatel” registrado atrás, então se pedirem é só mostrar, mas vale lembrar que não pode voltar com mais de um telefone por pessoas.
        Fui em novembro com minha mãe, ela não levou o celular e comprou um iPhone novo; eu levei meu iPhone e iPad nacionais, comprei um iPad lá, passei pelo RX, mas era o único eletrônico importado.

  • Reply
    Leonardo
    24 de Março de 2015 at 03:31

    Algum parecer sobre a vinda de instrumentos musicais adquiridos no exterior?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      24 de Março de 2015 at 14:16

      Leonardo, até US$500 você pode trazer sem problemas. Acima desse valor que tenho dúvida, não encontrei nenhuma exceção no site da Receita… Vale a pena tentar procurar por ser algo específico 🙂
      Abraços do Mamute!

      • Reply
        Beatriccy
        25 de Março de 2015 at 20:58

        O pais regrede em muitos aspéctos:
        1- certas indicaçoes nos soan absolutamente rediculas: Como que IPAD e notebook ainda não são considerados item pessoa l? hoje em dia é cada vez mais normal pessoas viajarem com estes itens… terei de viajar carregando kilos de papeis e notas fiscais!
        2- E como disse “Marcelo Rodrigo” em 16 de março de 2015 at 01:06:
        – “O Brasil é uma piada de mau gosto. Só fazem algo pra “apertar o cerco” contra o cidadão comum! Poderiam fazer isso – e muito mais – em Brasília, paraíso da bandidagem brasileira. Fico impressionado com a “eficiência” na hora de cobrar (leia-se tomar) impostos! Algo que seja realmente bom e útil pra população nada! O Brasil é o país de primeiro mundo pra aumentar e arrecadar impostos (como se não fossem poucos), é pior que a Etiópia na distribuição de renda, na Saúde, na Educação, etc. Uma sonora vaia para os nossos governantes!! …”
        3- O PT sozinho consegue combater a importação de produtos muito mais que toda a receita federal e aduana. Colocou o dólar turismo a R$3.65…
        Isso, Guilherme: 4- Não adianta aumentar a fiscalização enquanto as autoridades acharem que seu distintivo é sinônimo de superioridade. Nada mudará até eles entenderem que sua função é a de previnir o contrabando e descaminho como polícia aeroportuária.

  • Reply
    Mauricio
    24 de Março de 2015 at 20:20

    E pra Brasileiro quem tem residencia na Europa ?
    Será igual o proceso?
    Nao poso levar um iPhone4 velho usado , e outro iPhone6 porq eh novo ? E levando un laptop usado tbm, e um Samsung pra preséntear un familiar , Mesmo todos com Notas Fiscais de compra ???

    Brigado!

  • Reply
    Edgard
    24 de Março de 2015 at 22:40

    em um país de corruptos e ladrões no poder, com aviões próprios, naves que saem de qualquer aeroporto com a autorização desta “polícia federal” que se vê no direito de tributar em 50% pequenas cotas de idiotas brasileiros, por que na verdade, é o que somos, me enoja ver tal matéria. se entrarmos na casa de um político encontraremos vários importados sem serem tributados. esta corja de ladrões forma uma grande panelinha, junto á polícia federal e à receita federal. (sou brasileiro, 14 anos, e essa é minha opinião…)

  • Reply
    luigi
    25 de Março de 2015 at 00:40

    Uma dica: eu sempre deixo meias e cuecas sujas (BEM sujas) na parte mais de cima da mala. Não muda os limites ou o imposto a pagar mas pelo menos tenho o prazer de ver o fiscal da Receita sujando as mãos no meu próprio excremento.

  • Reply
    Gabriel
    25 de Março de 2015 at 02:51

    Quero viajar no final do ano, mas ainda fico confuso com algumas coisas. Gostei muito das dicas me esclareceu bastante coisa, mas ainda tenho dúvidas em pequenos detalhes.
    Se eu for para o Eua com 10kg na mala e voltar com 20kg mesmo não passando da cota, eles podem implicar?
    E se eu comprar roupa lá, e usar lá mesmo vai ser contada na cota? Ou eles isentam?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      26 de Março de 2015 at 01:40

      Olá Gabriel!

      Não passando da cota não tem problema algum, independente do peso. Roupa é mais difícil implicarem, mas entra na cota sim. Basta você comprar tudo em quantidades aceitáveis para uso pessoal e nenhum montante exorbitante e não terá problema 🙂

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    joana
    25 de Março de 2015 at 05:08

    Melhor nao comprar nada ,e curtir a viagem , as lojas que vendem vao sentir a queda das vendas !

  • Reply
    A nova fiscalização da Receita para passageiros de vôos internacionais
    25 de Março de 2015 at 11:48

    […] Fonte: Oficina de Inverno […]

  • Reply
    Rafael Barbosa
    25 de Março de 2015 at 13:36

    Olá me chamo Radael, e sou residente em Roma-Itália.
    Estou pensando em retornar ao Brasil no fim deste ano, mas ainda tenho muitas dúvidas a respeito destas taxas…
    Pra quem é residente regular fora como eu, e retorno ao país… Serei isento???
    Terei problemas, pois possuo vários aparelhos eletrônicos, Computador portátil, iPad, iPhone, câmera semi-profissional, Tv de plasma, som, joias várias roupa de marcas que adquiri ao longo de todo esse tempo aqui!
    Ficaria muito grato se alguém pudesse me ajudar!!! Desde já muito obrigado!

  • Reply
    rAPHAEL
    25 de Março de 2015 at 18:37

    MAIS UMA MANOBRA PARA FAZER OS BRASILEIROS TROXAS COMPRAREM NO BRASIL COM A A CARGA TRIBUTÁRIA MAIS ALTA DO MUNDO..PRA PAGAR O ROMBO DOS CORRUPTOS

  • Reply
    Luis
    25 de Março de 2015 at 21:01

    Governo ladrão e corrupto. Só pensa em arrecadar. Salve o Brasil e seus ladrões de colarinho branco e uniformizados.

  • Reply
    Renato
    26 de Março de 2015 at 17:44

    Sou brasileiro residente nos EUA há décadas. Isso já foi assim, mas nos últimos 7 anos tinha melhorado bastante. Não fui mais achacado pelos agentes, e sempre trataram tudo sem picuinhas.
    Mas existia uma opção de “importação temporária ” para itens que voltariam comigo, tipo computadores ou outro equipamento caro. O pagamento da taxa era recolhido em caráter temporário, e ao sair do país, devolvido (ou não cobrado). Existe essa opção ainda?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      27 de Março de 2015 at 03:28

      Olá Renato!

      Não sei te informar sobre essa possibilidade. Uma boa opção para investigar já que muitas pessoas falaram que moram fora e vem para o Brasil apenas para férias. Vamos ver se encontramos mais informações!

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Jader Melo
    26 de Março de 2015 at 19:41

    Se eu for estudar fora por aproximadamente 1 ou 2 anos e comprar camera e notebook para uso pessoal e nos estudos, serei taxado?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      27 de Março de 2015 at 03:31

      Olá Jader,

      Se você ficar mais de um ano e comprovar que o desktop era para trabalho e uso pessoal enquanto você estava por lá ele não será taxado no retorno. Segue a regra para quem ficou mais de um ano e será isento 🙂

      Já a máquina fotográfica é considerada de uso pessoal mesmo para quem fica menos tempo, então se você levar só uma unidade ela não será taxada nem entrará na cota!

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Lais
    28 de Março de 2015 at 00:33

    E se eu tiver atestado de residencia no exterior?

  • Reply
    geraldo alexandre da silva
    28 de Março de 2015 at 02:09

    Para quem mora no exterior a anos e esta de mudanca p/ o Brasil, o que ele tem o direito de levar sem tributacoes em uma bagagem acompanhada???

  • Reply
    Rafael
    28 de Março de 2015 at 02:32

    Estou fazendo intercâmbio nos EUA e volto daqui a 3 meses, minhas dúvidas são:
    1) A cota de US$ 500 é para todas as compras ou apenas o valor do item não pode ultrapassar 500?
    2) Se eu comprar um celular para uso pessoal ele pode ser acima de US$ 500?

  • Reply
    max
    28 de Março de 2015 at 02:58

    Olá moro nos usa,tenho dupla cidadania se caso taxas forem alta tem opção de pegar os item qndo voltar?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:30

      Olá Max,

      Você tem que pagar a taxa na hora ou os seus bens ficam retidos na alfândega até que você pague.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Carlos Pessoa
    28 de Março de 2015 at 04:02

    Gostaria de saber a respeito de máquina filmadora e aparelho de gps. Apenas uma unidade de cada fica fora da cota dos 500 dólares? Obrigado!

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:29

      Olá Carlos,

      Esses itens entram para a cota de US$500.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    lorena
    28 de Março de 2015 at 06:06

    por isso q eu sou brasileira moro fora do brasil e viajo pelo mundo mas nao viajo pro brasil. essa merda desse governo sempre arranjando jeito de tirat dinheiro da gente. pqp

  • Reply
    Jessica
    28 de Março de 2015 at 07:32

    Vim para os EUA 14 de Agosto de 2014 e provavelmente voltarei dia 1 de Agosto de 2015, somente uma quinzena antes de completar 1 ano e sou estudante aqui. Será que eu conseguiria isenção dos meus bens, já que morei aqui e passei quase 1 ano? E a volta é de caráter permanente. Obrigada!

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:31

      Olá Jéssica,

      Sinceramente acho que não. Eles são bem restritos para esse período de 1 ano :/

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Vanessa
    28 de Março de 2015 at 08:14

    Gopro é considerada câmera? Ou seja, se vier com ela e estiver usada, não é taxada?

  • Reply
    Raissa Hardt
    28 de Março de 2015 at 10:38

    Achei o post muito interessante, parabéns!

    Tenho algumas dúvidas. Moro na Noruega desde agosto de 2014 e volto para o Brasil em julho de 2015. Na volta quero levar:
    – cerca de 10 unidades de chocolate, de tipos DIFERENTES. Eles levam em conta o tipo de chocolate, por exemplo, sabores diferentes? Cada um custa menos de 10 dólares.
    – em cada cidade que passei comprei um copo de shot para colecionar. Obviamente, todos são diferentes. Algum problema? Serão cerca de 20 e custam menos de 10 dólares.
    – trouxe meu celular antigo e comprei um novo aqui. Não tenho certeza se tenho a NF do antigo e não fiz nenhuma declaração. Como prosseguir?
    – comprei um laptop aqui e tenho a nota fiscal. Certamente é de valor inferior a 500 dólares. So lembrar de ter a nota fiscal comigo, correto?
    – e como comprovo que são coisas de uso pessoal? Trouxe uma câmera e ela já é antiga, mas não declarei NADA.

    Obrigada pela atenção.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:35

      Olá Raíssa!

      – chocolates e copos de shot que custam menos de 10 dólares: são diferentes, você não deve ter problema com eles;
      – celular: apena um entra na isenção. Se você não tiver a declaração do imposto do primeiro talvez tenha problema com isso;
      – Laptop: se foi inferior a US$500 e você tem a nota, não tem problema! Só mostrar na hora que eles pedirem, tranquilos!;
      – Câmera: se tem apenas uma é item de caráter pessoal (a não ser que seja aquelas profissionais). Mas via de regra não terá problemas!

      Abraços do Mamute! Esperamos ter ajudado!

  • Reply
    Arthur
    28 de Março de 2015 at 12:42

    Olá,
    Vou para a Europa e quero levar duas câmeras fotográficas, uma digital “normal” e uma gopro. A primeira possui o selo constando que é brasileira e tenho a nota fiscal. A segunda foi comprada em free shop, em Rivera-Uruguai e possuo a nota fiscal. Porém, nesta câmera não foi declarado o valor que superou a cota. Posso ter problemas com este imposto? A nota fiscal leva algum carimbo identificando o pagamento na receita?
    E o fato de eu estar levando duas câmeras, sendo que é possível retornar portando somente 1 para uso pessoal, haverá problemas?
    Não sei o que fazer, mas não tenho como viajar com uma só, cada uma atende diferentes funções e serão 3 meses de viagem.
    Obrigado desde já pela orientação.

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:37

      Olå Arthur,

      Se você não tem o termo de declaração do pagamento do imposto da segunda pode haver algum problema sim. Apenas uma câmera entra como item de caráter pessoal. Vai depender na hora que você passar na alfândega do critério subjetivo do fiscal :/

      Esperamos ter ajudado e desculpa por não conseguir ser mais específico nas respostas hehehe alguns critérios ficam subjetivos

  • Reply
    Kellynha
    28 de Março de 2015 at 12:53

    Olá!
    Ainda fico um pouco confusa em relação a isso! Se eu e meu esposo viajarmos para o exterior e cada um de nós comprar lá um laptop, um ipad, um celular e uma câmera fotográfica. Podemos ser taxados? Mesmo sendo uma unidade de cada coisa? Isso não sugere que seja de uso pessoal?
    Obrigada

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:38

      Olá Kellynha,

      Não, nem todos os itens são considerados de caráter pessoal como a câmera, como falamos no post. Alguns desses que você comentou como o iPad entram sim para a cota, mesmo se for apenas 1 item.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    cristina
    28 de Março de 2015 at 13:21

    eu queria saber ser uma coisa meu marido toma remedios controlado e ele vai passa uns meses comigo quantas caixas de remedios ele pode trazer do exterior pq ele nao pode fica sei um dia sei toma o remedios dele e o remedios de e feito na holanda eu queria um resposta sobre isso????

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:38

      Olá Cristina,

      Infelizmente não sabemos te informar sobre remédios especificamente. Nos desculpes!
      Vale a pena conferir o site da Receita 🙂
      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Elaine Haulsee
    28 de Março de 2015 at 13:28

    Sou brasileira e moro nós EUA. Em julho vamos fazer um casamento religioso no Brasil com minha família. Comprei um vestido de noiva aqui. Jura que tenho que pagar imposto no vestido?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:40

      Olá Elaine,

      Se você é residente nos EUA com alguma sorte pode passar. Mas vestido de noiva é um item que chama cada vez mais atenção. Via de regra brasileiros precisam sim pagar o imposto se ultrapassar US$500.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Milena V Santos
    28 de Março de 2015 at 13:29

    Ola, e qto a quem mora no exterior e vai embota pro Brasil de mudanca, com carte de mudanca expedida pelo Consulado Brasileiro no exterior? Ate onde eu sei e de casos que sei tbm, levando a cartq voce nao passa pela fiscalizacao. Tem que pagar as malas extras no check inn mas nao tem limites de quantidade de mala, dependendo da companhia aerea. Obrigada

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:41

      Olá Milena,

      quem mora no exterior por um período maior do que 1 ano é considerado viajante especial. Essas pessoas tem direito a trazer a sua mudança com os itens que precisou para o tempo em que morou fora, sem serem taxadas. A regra é diferenciada 🙂

      Abraços do Mamute

  • Reply
    Cristina
    28 de Março de 2015 at 14:47

    Olá! Vou fazer uma viagem e pretendo trazer uma batedeira. Está dentro da cota, mas tenho dúvidas sobre o transporte. Alguém sabe me dizer se pode vir como bagagem de mão ou tem que ser bem embalada e despachada?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:42

      Olá Cristina,

      Imagino que despachar é mais seguro. Não sei se o país de onde você estå embarcando será criterioso como item perigoso para ir na mala de mão (a gente nunca sabe hehehe, pelos itens dela separado). Mas é só um palpite 🙂

      Beijos!

  • Reply
    Thiago
    28 de Março de 2015 at 16:20

    Ola, comprei uma bicicleta usada pelo ebay aqui Miami, paguei 600 Dolares, como faço para declarar!?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:43

      Olá Thiago,

      Leve a nota fiscal de compra e na chegada ao Brasil coloque que “tem bens a declarar”. Eles vão aplicar a taxa no desembarque mesmo.

      Abraços!

  • Reply
    Claudia
    28 de Março de 2015 at 16:48

    Bom dia, tenho roupas de bebês que Meus filhos estão crescendo d gostaria de levar para doar, essas roupas são isentas? Muito obrigada

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:44

      Olá Cláudia,

      Infelizmente não, os itens para doação não possuem caráter diferenciado, são taxados da mesma forma 🙂

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Cris
    5 de Abril de 2015 at 22:49

    Olá.
    Meu filho vai passar 7 meses em Boston. Ele não vai levar muita bagagem, só o essencial. O que ele precisar, roupa, calçado, eletrônicos, vai comprar lá. Será que terá problemas na volta?
    Cris

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:25

      Olá Cris,

      Se passar do limite de US$500 ele pode sim ter que pagar a multa caso não declare que comprou esses bens e pague a taxa normal.
      O ideal é declarar, pois a multa fica bem mais alta e eletrônicos são de fácil identificação.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Vera
    7 de Abril de 2015 at 17:04

    essa cota de USD 500,00 nunca muda? Desde que me conheço por gente é esse valor ridículo!!!!

  • Reply
    Vargas
    8 de Abril de 2015 at 16:44

    No inicio do mes de maio vou de ferias da Europa para o Brasil, vou levar algumas ferramentas já usadas comigo na bagajem, para deixar na casa da minha namorada, Parafusadeira eléctrica, chaves de fendas, alicates, etc etc… Como funciona isso? Vou ter problemas?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:15

      Olá Vargas,

      Esses itens seguem o procedimento normal. Se passarem do limite podem ser taxado.

      Abraços do Mamute!

  • Reply
    Emily
    10 de Abril de 2015 at 13:56

    Tenho uma pergunta, vou ao brasil de ferias durante 1 mes e meio e meu filho de 5 anos quer levar a wii u dele. Podemos leva-la ou vou ser taxada?

    • Reply
      Oficina de Inverno
      15 de Abril de 2015 at 11:14

      Emily,

      Se você tiver a nota fiscal de compra sem problemas. Apenas a leve com você para provar que foi comprado anteriormente. Se não tiver corre o risco sim de ser taxado, mas depende muito de cada fiscal.

      Abraços do Mamute!

      • Reply
        Natalia
        8 de junho de 2015 at 00:09

        Tenho uma dúvida: se por exemplo, eu quiser comprar 20 perfumes diferentes numa viagem ao exterior ou itens de maquiagem, cada um deles não pode ultrapassar o limite de valor (para cota) de 500 dólares afim de não ser tributado, ou todos os perfumes (e maquiagens) precisam custar juntos no máximo 500 dólares para ser isento de tributos? O que eu não estou entendendo direito é se a cota de no máximo 500 dólares é por produto ou pelo total de compras de produtos feitos no exterior…???

  • Reply
    Leilane Gomes
    21 de Abril de 2015 at 23:45

    Oi,

    Estou com uma dúvida, pretendo comprar um Iphone para uso pessoal, porém diz que itens pessoais não entram na cota, no caso não vou levar nenhum telefone, para comprar o novo lá, esse item entra na cota de U$ 500,00?

  • Reply
    Waldir Rocha
    8 de junho de 2015 at 14:04

    Bom dia.
    Minha esposa quer trazer uns 8 Shampoos idênticos no valor de $ 8,00 cada, entra na categoria de 10 itens idênticos abaixo de $10,00 mesmo sendo Cosmético ? Obrigado

  • Reply
    Paulo Henrique Lopes
    8 de junho de 2015 at 17:44

    E quando nossas malas são arrombadas e nossaS mercadorias roubadas, vcs vão criar alguma norma para devolver pelomenos nosso dinheiro? Porque já fui roubado várias vezes e só descobri bem depois.

  • Reply
    dorivan
    8 de junho de 2015 at 21:00

    Olha, nunca fui a favor desse lance de alfândega para equipamentos e bens comprado fora, eu sei q a falta disso complica pra nossa balança comercial e etc, além do risco do trafego de drogas, mas a sensação que eu tenho é que somos sempre vistos como bandidos. Você não pode fazer nada nem comprar nada sem deixar um pouquinho pro nosso governo ladrão.

  • Reply
    dorivan
    8 de junho de 2015 at 21:01

    * tráfico…..

  • Reply
    alberto
    8 de junho de 2015 at 22:49

    oi primeiramente esta cota de 500e injusta pra voos internacionais pois vc paga muito caro em um pacote pra comprar 500 dollar ou mesmo vc usar estes mesmo 500 dollar pra compra no brasil ,sendo que tudo esta muito caro,bem a uns 4 anos estive ai no brasil fui parado pela alfandega alegando que eu estava levando muitas coisas mas as companias aqui nos orienta que podemos levar ate 70 libras mais ou mesnos 35 kilos me liberan mas tive que escutar um monte pois me falaran que e so 20 kilos voos internacionais quem sera que tem a palavra fiquei muito confuso se acredito nas agencias aerias ou sei la

  • Reply
    Margarida
    10 de junho de 2015 at 03:12

    Eu sou do México e para os mexicanos é básico ter pimenta. Neste caso é permitido entrar ao Brasil com pimenta? (Produto de lata). Agora, se eu quiser trazer pimenta seca, qual é o processo para poder entrar ao país com ela?

  • Reply
    Francine
    10 de junho de 2015 at 04:45

    Se antes já estavam roubando imagine agora.
    Tudo p dificultar a nossa vida.
    Se o povo ta indo comprar as coisas no exterior mesmo com o dólar alto é pq não da p se comprar nesse Brasil onde tudo é muito caro, sem noção. Depois de oito anos sem ir ai me escandalizei com o preço das coisas, sem exceção. E o pior é o salário q nem vou entrar em detalhes.

  • Reply
    Leonardo
    10 de junho de 2015 at 11:46

    Não, entendi … Tenho um iPad comprado no Brasil e pretendo comprar outro na viagem para uso próprio e substituir o velho … Pagarei por isso ?!

  • Reply
    Claudia
    10 de junho de 2015 at 14:32

    Eu entro no Brasil com passaporte brasileiro mas moro nos EUA, e tb tenho passaporte americano. Meus filhos tb tem dois passaportes, brasileiro e americano, mas meu marido so o americano. Estamos isentos de sermos taxados pelos produtos pessoais como iPad, laptop, iPhone, etc? E posso trazer presentes de Natal pra minha família?

  • Reply
    Bruno Mendes Drumond
    10 de junho de 2015 at 16:13

    E como ficaria se eu trouxesse um item q custasse $3mil?por ex um Mac Pro…e mas alguns poucos itens para ultrapassar esse valor. Não faz sentido eu sofrer tributação especial de importação. Importação eles deveriam limitar o valor com média na quantidade de produtos…mas eles deixam isso muito vago.

  • Reply
    junior
    10 de junho de 2015 at 18:14

    Moro na Europa a quase dois anos e estou voltando para o Brasil e claro vou levar algumas coisas a mais…
    a questão é suplementos devo comprar de difere teste marcas para levar uma quantidade maior ou abro eles todos dito como de uso…

  • Reply
    Carlos
    10 de junho de 2015 at 21:41

    Descobrir o enriquecimento ilícito dos políticos e seus filhos, parentes e afins não descobrem, mas tolhir o direito da gente comprar uns mimos, ai são ferozes!

  • Reply
    Mara
    11 de junho de 2015 at 12:10

    Olá. Vou para Portugal em dezembro. Sei que para a Europa posso levar 2 malas de até 32kg por pessoa. Assim, gostaria de saber se, por exemplo, na ida minha bagagem pesar 20 kg e na volta estiver com 31 kg, vou ser tarifada por esses 11 kg a mais?
    Não consegui entender muito bem essa questão de os aeroportos terem acesso a bagagem dos passageiros levando em conta o peso da ida e da volta.
    Obrigada

  • Reply
    Nina
    11 de junho de 2015 at 15:05

    Estou indo para o Chile próxima semana, toda essa restrição também vale para lá? E em relações a compras, no Duty é mais barato que nos Outlets da cidade? Grata!

  • Reply
    Juliane Paes Leme Borges
    12 de junho de 2015 at 12:13

    Pergunta… estou indo em Outubro para visitar minha família que mora nos Estados Unidos. E também vou aproveitar para ver vestido de noiva (Me caso em Maio 2016) o vestido será um presente da minha mãe. Obviamente não terei o recibo, mas o preço está em torno de $1.500 – $2.000 dólares. Como fica essa situação que ganhamos presentes e trazemos ao Brasil? Tecnicamente não comprei.

  • Reply
    Valeria
    12 de junho de 2015 at 20:37

    Vou o Franca em novembro e pretendo comprar uma bolsa Chanel que custa 3 mil euros. Terei oroblemas? E para uso pessoal.
    Obrigada

  • Reply
    Pri
    13 de junho de 2015 at 15:40

    Olá! Vou fazer duas viagens ao exterior com menos de um mês de diferença entre elas. Quer dizer que na segunda não terei cota de isenção pra nadinha? Nem mesmo lembrancinhas, coisas de uso pessoal ou freeshop? :/
    Obrigada

  • Reply
    Wesley
    13 de junho de 2015 at 16:36

    Muito interessante a matéria de vocês!!!

    Tenho uma dúvida!!!
    Estou trabalhando fora do Brasil há 5 meses e trouxe meu notebook para uso pessoal e profissional, mas as configurações do aparelhos não eram adequadas, então a empresa me forneceu um novo aparelho. Gostaria de saber como proceder na receita federal, se posso apresentar algum documento da empresa que prove que o computador é de uso profissional e pertence a empresa?

    Obrigado!

  • Reply
    Richard Noronha
    18 de junho de 2015 at 04:20

    Olá bom dia! tudo bem? Tenho 01 IPhone 6 Plus de uso pessoal e, também tenho outro Iphone 4s, também de uso pessoal que está com a tela danificada, ou seja, a tela estar trincada e gostaria de trocar essa tela na Apple nos USA, nesse caso eu teria que levar as notas ficais dos 2 aparelhos, ou só precisaria levar de 01 aparelho?

  • Reply
    Edilene Simão
    28 de junho de 2015 at 20:57

    Olá!
    A respeito de sapatos, tênis e sapato social entram na categoria de produto para uso pessoal? Existe algum limite? Acessei o link que você disponibiliza da Receita e não visualizei nada sobre esse assunto. Sobre roupas, comprei 3 camisas iguais com cores diferentes, isto me trará problemas?

  • Reply
    Larissa Rodrigues
    28 de julho de 2015 at 17:45

    Mu notebook comprado na Colômbia foi taxado na minha entrada no Brasil em viagem pros EUA essa semana. Fui taxada sobre valor de 1000 dolares, sendo que na Colômbia paguei 800 dolares no computador. Infelizmente nao levei a nota para a viagem. Posso recorrer para ser restituída do valor pago ou não tem mais jeito?

    Obrigada.

  • Reply
    Amanda
    30 de julho de 2015 at 07:08

    Sou residente aqui nos eua por 14 anos e estarei indo de férias para o Brasil por 1 mês e meio. Estarei com 2 malas no peso certo e 1 mala de mão . Estarei levando presentes para bebe , 3 vidros de perfume sendo que já está usado mas 1 é novo
    Tenho nota de tudo que comprei mas de algumas coisas não pq são usadas. Estarei no limite da cota. Minha dúvida é a seguinte
    estarei levando
    meu celular
    minha câmera
    meu ipad que até esta com a tela trincada
    mais meu laptop que tenho desde 2013 e custou em torno de 300 dólares . Serei taxado sendo que vivo aqui? Vou para a fila nada a declarar ? Obrigada pelo post

  • Reply
    Lucas Oliveira
    8 de agosto de 2015 at 16:21

    Olá, tenho uma consulta,
    Já ficou claro que por ter morado mais de um ano no exterior quando retorne ao país terei a isenção dos meus objetos de uso pessoal, meu Macbook por exemplo.
    Minha consulta é se receberei algum documento por essa isenção?
    O que acontece nas minhas próximas viagens ao exterior?
    Pode acontecer de retornar e eles quererem tributar?
    Abraço.

  • Reply
    cezar
    21 de agosto de 2015 at 10:10

    gostaria de saber se for feita compra de eletrônico que custe $490 dólares (abaixo do valor permitido), mas que com o valor do imposto pago no ato da compra, o preço final pago ficar além de $500 dólares, qual é o valor que é levado em conta pela receita ao entrar no Brasil: o preço com ou sem imposto, pois se for sem imposto estará abaixo do valor permitido e se for com o imposto pago ultrapassará os $500 dólares.

  • Reply
    Bocean
    26 de agosto de 2015 at 00:22

    Olá tenho uma dúvida , vou viajar pro exterior suponhamos que eu compre US$ 1mil dólares em roupas , obs : ” uso pessoal ” irei declara esses bens , porém tenho dúvida , eles vão me taxa apenas os US$500 dólares excedido ou vou te que pagar 50% dos US$1mil dólares que gastei com as roupas ?? Agradeço desde já

  • Reply
    Cláudio
    31 de agosto de 2015 at 02:32

    Olá boa noite, tenho uma dúvida? Estou no Brasil, se eu comprar produtos de fotografias, por ex: Uma lente..de um site como a Amazon…Como vão ficar estas questões de taxar o produto etc. Será que ele chegará aqui pelo valor que avistei no site da loja

  • Reply
    Manoel sobrinho
    31 de agosto de 2015 at 08:57

    Eu mora na Nova Zelandia a 10 anos e nunca estive no brasil desde entao.
    Estou indo de Ferias daqui alguns dias e estou Levando muitas coisas.
    Queries saber se posso trazer isso de volta pra Nova Zelandia em case de isso ser barradas pela receita federal

  • Reply
    Alexandra
    8 de setembro de 2015 at 16:01

    Irei passar um mes de ferias no Brasil. Pergunto, se eu levar minha camera DSRL camera de CND 670.00, celular, tablet, netbook, eles vao querer me taxar? Eu nao tenho as notas do tablet e netbook porque sao velhos… E tb nao posso levar os tablets de minhas filhas que tb nao tenho a nota por tb serem velhos???

  • Reply
    wong
    7 de outubro de 2015 at 00:06

    Boa tarde.
    Se a situação for ao contrária. Eu vou para a China, e quero levar vitaminas, cafe e açai. Como funciona?

  • Reply
    Maria de Fatima
    2 de novembro de 2015 at 18:32

    Olá preciso de uma informação. Meus pais estão indo para portugal visitar uma filha. Esta por sua vez pediu que trouxessem 11 moedas antigas no valor de R$ 1800,00 que um senhor irá comprar por internet e vai dar o endereço dos meus pais para entrega. Que tipo de problemas eles podem ter, estou preocupada pois são idosos e não conheço o tal senhor e nem de que site será feita a compra das moedas. Se levarem devem declarar??? Quanto seria o imposto?? Me ajudem….

  • Reply
    Oliveira
    8 de novembro de 2015 at 02:02

    Passei para deixar meu joinha. Vlw

  • Reply
    Paula
    13 de novembro de 2015 at 04:22

    Vou ficar 1 ano fora do Brasil, eu posso ser taxada?

  • Reply
    Samara
    27 de novembro de 2015 at 22:22

    oii, moro na bolivia ja te 2 anos, e todas ferias vou a passeio p o brasil, agora estou qrendo leva 5 celulares ja usados, tem perigo d eu ser taxada?

  • Reply
    Debora
    1 de Fevereiro de 2016 at 20:39

    Se eu estiver indo morar fora, e quiser levar minha coleção de livros na mala, quantos eu posso levar?

  • Reply
    Lucia
    13 de Abril de 2016 at 21:33

    Eu tenho uma máquina comprada em uma outra viagem que não excedeu os $500, que está usada, com rachaduras, e que levarei para uma viagem junto com um comprovante de compra em 2014. Na viagem penso em comprar uma gopro, que não faço idéia do preço. Nesse caso a gopro dentro do limite será taxada?

  • Reply
    Raissa
    9 de Maio de 2016 at 07:23

    Olá. Se eu estiver usando jóias em meu próprio corpo, preciso levar documentos dessas jóias para apresentar na imigração?
    Obrigada

  • Reply
    Terry
    19 de julho de 2016 at 04:38

    Olá, sou americano, me casei com brasileira aqui nos EU, e estou me mudando ao Brasil; gostaria de saber se posso levar minha impressra (deve ter uns 10 anos de idade), meu iPad (1 ano) e meu laptop que comprei recentemente. Agradeço desde já pela resposta, pois não a encontrei em nenhuma das várias buscas que venho fazendo na internet… Se possivel por favor responda ao e-mail porque não sei como esse sistema funciona – muito obrigado!

  • Reply
    Valdinei023@gmail.com
    29 de setembro de 2016 at 08:46

    Tenho um equipamento de topografia meu como levo-o de volta

  • Reply
    marilia
    31 de outubro de 2016 at 22:20

    Olá, irei para europa fazer intercambio e gostaria de levar meu notebook, que foi comprado no Brasil, porém não possuo mais a nota fiscal porque já é um pouco velho, mas tem o simbolo da Anatel. como devo proceder?

  • Reply
    Samanta
    19 de dezembro de 2016 at 02:25

    Boa noite, estou indo para Manaus no início de Janeiro e levarei 2 malas com roupas usadas e presentes para dar.
    Meu marido irá se encontrar comigo lá por 4 dias e ele vai levar 2 malas de uma prima minha que veio estudar por 1 ano, mas que não levará todas as malas com ela para não pagar excesso.
    Pergunto: vai dar algum problema na alfândega, já que ele vai levar duas malas com roupas femininas por um período de 4 dias?

  • Reply
    Raphaela
    27 de Abril de 2017 at 21:44

    Preciso viajar com dois notebooks (ambos comprados no Brasil), terei problemas?Levando as duas notas fiscais fico isenta de taxas?Obrigada!

    Raphaela.

  • Reply
    Joao Victor
    4 de setembro de 2018 at 04:35

    Bom dia!
    Estou indo fazer meu primeiro show internacional com minha banda, mas boa parte do material não tem nota fiscal, mas todos comprados aqui no Brasil. Estamos receosos na volta por conta das taxas a serem cobradas na alfândega. Como somos músicos profissionais com carteira da OMB teríamos algum tipo de isenção pra levar nosso material sem medo?

Leave a Reply