Instagram

Siga o Mamute!

Mamute Cultural Portugal

Planejando a viagem? Veja esse guia de Portugal e prepare-se!

1 de Fevereiro de 2019
Guia de Portugal

Portugal não é apenas o país que colonizou o Brasil. A história de estreita relação entre os dois países tem mais de cinco séculos, permeada de todo tipo de acontecimento. Muito do que somos hoje, enquanto povo brasileiro, tem influências da cultura portuguesa e da ação dos colonizadores por aqui. As ruas do centro histórico de São Luís, capital do Maranhão, atestam essa herança cultural. Mas Portugal é bem mais que os azulejos portugueses nessas construções ou o idioma que herdamos.

O país é um dos destinos mais queridos pelos brasileiros, que veem na proximidade cultural e linguística um atrativo a mais para Portugal enquanto destino turístico. No prêmio World Travel Awards, de 2018, Portugal foi eleito o melhor país do mundo. Não é pouca coisa, né?

Desse modo, acreditamos que é essencial ter o maior número de informações sobre o país antes da viagem. Por isso, a Oficina de Inverno traz um guia de Portugal. Um material completo que pode ser consultado a qualquer momento, antes ou durante a viagem. Praticidade importa!

CARACTERÍSTICAS DE PORTUGAL


No vídeo acima, o texto do escritor português Valter Hugo Mãe é falado em diferentes sotaques

Portugal é um país pequeno na Europa, com 92.212 km² de extensão – cabe dentro do estado de Pernambuco -, pouco mais de 10 milhões de habitantes (2017) e que faz fronteira com apenas um país, a Espanha. O fuso horário é de 3 horas a mais do que o Brasil e, durante o horário de verão português, são 4 horas a mais. Assim, quando é 13h no Brasil, por exemplo, lá o relógio marca 18h. Esse é o mesmo fuso horário de Londres.

A língua, o português, é partilhada conosco, mas não o sotaque. Por conta disso, muita gente tem dificuldade de entender o interlocutor português. O idioma tem como principal influência os povos latinos que por lá passaram.

A moeda é o euro, um dos pontos que pode tornar a viagem mais cara, já que é bem mais valorizada do que o real. Em 29 de janeiro de 2019, o euro equivalia a R$ 4,26. Para o turista brasileiro não é exigido o visto.

Para outras informações, você pode visitar o site do governo português ou o site do Turismo de Portugal.

HISTÓRIA

Segundo o Ministério dos Negócios Exteriores de Portugal, o país foi fundado em 1143, ano da celebração do Tratado de Zamora. O fato se durante a reconquista cristã. Este documento foi assinado por Dom Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal, e Afonso VII de Leão e Castela. Na ocasião, o país foi reconhecido como reino independente, sendo confirmado em 1179 pelo Papa Alexandre III.

No período que se seguiu, entre os séculos XII e XIII, os reis portugueses foram conquistando outros territórios, até chegar ao Algarve. Com isso, as fronteiras do país foram estabelecidas e, ainda segundo o ministério português, houve a consolidação do território, que se mantém praticamente inalterado até hoje.

Uma vez que Portugal se estabeleceu como uma nação, com fronteiras definidas e tudo que isso compreende, passou a introduzir melhorias no país. Uma delas foi a construção da Universidade de Coimbra, uma das mais antigas da Europa, bem como a construção de castelos, palácios e catedrais.

COSTUMES

Embora nós, brasileiros, tenhamos o costume de cumprimentar as pessoas com um abraço (a grande maioria é assim), para os portugueses funciona de maneira diferente. E por diferente dizemos no contexto de pessoas desconhecidas. Assim, quando viajar para Portugal fique atento.

Pessoas com um nível de intimidade maior podem se cumprimentar com um abraço, mas para estranhos um aperto de mão (homens) ou dois beijos (mulheres) é suficiente. Quem conta é um português no vídeo que pode ser visto neste link. Para os portugueses, o abraço é visto de forma mais íntima.

Outro ponto que acaba incomodando muita gente por lá (e que não está acostumada) é o fato de que os portugueses fumam bastante e em qualquer lugar, seja aberto ou fechado.

CLIMA

Como já explicamos neste post, o clima de Portugal no inverno não é dos mais rigorosos. Apesar disso, exige cuidados; afinal, não é incomum pessoas morrerem de frio por lá.

O país se divide entre a parte Continental e as ilhas e, por isso, o clima costuma variar entre mediterrânico e oceânico. Diferente do Brasil, as estações são bem marcadas. No inverno, chove bastante, então não esqueça do guarda-chuva, hein!

Veja, abaixo, as médias históricas das principais cidades de Portugal no inverno:

– LISBOA

Dezembro: 15°C (máxima) e 9°C (mínima)
Janeiro: 15°C (máxima) e 8°C (mínima)
Fevereiro: 16°C (máxima) e 9°C (mínima)
Março: 18°C (máxima) e 10°C (mínima)

– CASCAIS

Dezembro: 15° (máxima) e 8°C (mínima)
Janeiro: 15°C (máxima) e  7°C (mínima)
Fevereiro: 16°C (máxima) e 7°C (mínima)
Março: 18°C (máxima) e 9°C (mínima)

– AVEIRO

Dezembro: 14°C (máxima) e 5°C (mínima)
Janeiro: 14ºC (máxima) e 5°C (mínima)
Fevereiro: 14°C (máxima) e 5°C (mínima)
Março: 16°C (máxima) e 8°C (mínima)

– SINTRA

Dezembro: 14°C (máxima) e 7°C (mínima)
Janeiro: 14°C (máxima) e 6°C (mínima)
Fevereiro: 15°C (máxima) e 6°C (mínima)
Março: 17°C (máxima) e 8°C (mínima)

– FÁTIMA

Dezembro: 13°C (máxima) e 4°C (mínima)
Janeiro: 12°C (máxima) e 4°C (mínima)
Fevereiro: 13°C (máxima) e 4°C (mínima)
Março: 16°C (máxima) e 6°C (mínima)

– COIMBRA

Dezembro: 15°C (máxima) e 8°C (mínima)
Janeiro: 15°C (máxima) e 7°C (mínima)
Fevereiro: 16°C (máxima) e 8°C (mínima)
Março: 19°C (máxima) e 8°C (mínima)

O QUE VESTIR?

Portugal

O que vestir em Portugal: do frio ameno ao frio intenso – Foto: Oficina de Inverno

Após falar sobre a questão climática, uma dúvida vem imediatamente à mente: o que vestir no inverno de Portugal? Para responder essa pergunta, os Esquimós de Estilo da Oficina de Inverno prepararam este post, onde fala da importância da roupa térmica para ficar bem protegido. Não deixe de ler!

Além disso, vale lembrar que as peças de roupas a serem usadas variam muito de acordo com o tipo de frio que você está enfrentando: ameno, moderado ou intenso. Vamos, então, às dicas:

– No frio ameno (acima de 12ºC): não é preciso usar roupa térmica e você pode apostar em blusas de tricot e calças de tecidos mais leves, como moletom e sarja (com algo por baixo, como meia calça) ou calça de tricot, caso queira usar apenas uma camada. Para complementar, você pode utilizar um casaco leve, como o cardigan.

– No frio moderado (5ºC a 11º): aqui você já precisar da roupa térmica como primeira camada de roupa e meias. Logo após, coloque a blusa de lã e calça de tricot (ou moletom, caso não seja muito sensível ao frio). Também é possível usar saia ou vestido, desde que utilizando térmica e meia calça (gramatura 260 fios ou mais) por cima. Logo após, o casaco e acessórios de frio.

– No frio intenso (abaixo de 5ºC): aqui, a diferença ao frio moderado é o tipo de material das peças, seguindo a mesma ordem das três camadas. Aposte em meias térmicas, palmilhas de lã, botas de couro e casacos super quentinhos, como é o caso da jaqueta Winter Explorer.

O guia completo de “Como se vestir no inverno” está disponível aqui.

SERRA DA ESTRELA, DESTINO CONGELANTE EM PORTUGAL


Imagens áreas da Estância de Ski Serra da Estrela, veiculado no canal Portugal Visto do Céu

Caso você esteja buscando um destino para esquiar e ver neve em Portugal (amamos!), a Serra da Estrela é o lugar. Bem próxima da divisa com a Espanha e a 1.993 metros de altura fica o parque nacional que é também o ponto mais alto do país. Além disso, conforme já contamos nesse post, é lá que o queijo Serra da Estrela, de mesmo nome, é fabricado.

A Estância de Ski é o único local para esquiar em Portugal. O espaço conta com escola de esqui e snowboard, além de alojamento, passeio de raquetes de neve e até um piquenique gourmet no meio da neve. Já imaginou? Com certeza, uma série de experiências novas e que ficarão guardadas para sempre na memória.

Serviço

Horário de funcionamento: 9h às 16h30 para os passeios. Até 17h, quem estiver no local deve entregar o material alugado e a estância encerra o horário de funcionamento.

Os valores variam por idade e pelo tempo que a pessoa deseja adquirir o material, variando entre 25 € e 200 €.

Onde? Rua da Estrada Nacional 339, 6200-073 Covilhã, Portugal

CIDADES

Além de não ser apenas o país que colonizou o Brasil, Portugal não se resume a Lisboa. Se tem uma coisa que impressiona durante uma viagem ao país, é o quanto ele é diverso. Quanta coisa há para ser vista, dos locais mais tradicionais e pequenos, às grandes cidades.

Já conversamos sobre os pontos turísticos de Lisboa e sobre o que ver por lá com os pequenos. Também falamos da gastronomia portuguesa e das vinícolas, uma explosão de sabores. Évora e Porto estiveram na nossa rota também. Mas o que dizer de outras cidades e pontos de interesse?

Coimbra


Vídeo produzido pelo canal Município de Coimbra

Casas coloridas, construções imponentes, uma universidade quase milenar: Coimbra é isso e muito além. A cidade, que chegou a ser capital de Portugal até 1255, é um pólo acadêmico por excelência, mas o turismo também se destaca. E muito!

Por lá, você pode visitar a Sé Nova de Coimbra, a própria Universidade de Coimbra, o Mosteiro de Santa Cruz (onde Dom Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, foi enterrado), o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, o Museu Nacional Machado de Castro, Praça do Comércio…

Para quem gosta dos passeios mais culturais/históricos, a Biblioteca Joanina é um destaque à parte na Universidade de Coimbra. Com um acervo extenso, a Biblioteca encanta pela beleza, sendo reconhecida entre as melhores da Europa. Aqui você pode fazer uma visita interativa. Uma curiosidade é que o local é “protegido” por uma família de morcegos, que se alimentam dos insetos que podem danificar os livros e estantes, conhecidos como bibliófagos. Um pouco assustador, mas muito interessante!

Fátima


Vídeo produzido pelo canal IMC1943

Impossível falar de Fátima e não relembrar a história da aparição da Santa, não é? A cidade, localizada no distrito de Santarém, é um dos principais locais de peregrinação católica em todo o mundo.

A Cova da Iria, no Centro de Fátima, foi o local onde as três crianças pastoras – Jacinta, Francisco e Lúcia – disseram testemunhar diversas aparições de Nossa Senhora do Rosário. É naquela região que fica o Santuário de Fátima e uma infinidade de ruas, avenidas e espaços nomeados em homenagens a santos católicos. Alguns pontos importantes relacionados à parte religiosa é o próprio Santuário, o Museu Interativo que conta a história do milagre de Fátima, a Casa de Lúcia e a Capelinha das Aparições.

Para além da peregrinação, que responde por uma cota importante do turismo local, você pode visitar o Castelo de Ourém, as Grutas da Moeda (que fica em São Mamede, a poucos minutos de Fátima), Monumento Natural das Pegadas de Dinossáurios de Serra de Aire (a cerca de 7km de Fátima) e o Museu de Arte Sacra e Etnologia, que integra a Rede Portuguesa de Museus.

Sintra

Pertinho de Lisboa, a cerca de 40 minutos, está a cidade de Sintra. O local está repleto de construções da história mais antiga do país, como palácios e castelos. Esse fascínio pela cidade advém muito do fato de que ela é um lugar mais tranquilo, um refúgio para quem busca calmaria fora da agitação de Lisboa. Você pode facilmente fazer um bate-volta ou curtir a cidade por mais tempo. De qualquer forma, há muito o que ser visto!

O Palácio da Pena é uma atração imperdível por lá. Como explicaremos no tópico mais à frente, as construções suntuosas em Portugal não são os castelos, mas os palácios. A edificação, bastante colorida, chama atenção e encanta os visitantes. Foi construída no século XVII por encomenda de Dom Fernando II, no topo da Serra de Sintra, a 500 metros de altura. Uma coisa bacana desse Palácio é que ele é mantido como se ainda fosse habitado. A entrada custa 8 €.

Outro local que vale a visita é o Palácio Nacional de Sintra, também conhecido como Palácio da Vila. Ao contrário do Palácio da Pena, esta edificação não é tão colorida e extravagante. Foi moradia de reis e guarda muitas características da época, já que o local não sofreu muitas alterações desde o século XVI. A entrada custa 10 €. Além destes palácios, indicamos a visitação ainda de outros dois: o Palácio Monserrate e o Palácio de Queluz. Um luxo só!

Cascais

Esse é outro destino que os turistas brasileiros adoram e, em geral, costumam fazer um bate-volta. Apesar de uma cidade litorânea, há o que fazer por lá também no inverno. Você ainda pode admirar a beleza das praias e mar, mas o grande barato fica no centro histórico da cidade. Você pode visitar, ainda, a Casa das Histórias Paula Rego, o Farol de Santa Marta e o Museu Condes de Castro Guimarães.

Aveiro

Portugal

Conhecida como a Veneza de Portugal, a cidade de Aveiro é famosa pelo típico doce ovos moles – da famosa tradição de doces conventuais portugueses. Para além da gastronomia, é uma cidade pacata, ideal para quem gosta de curtir uma “vibe” de interior. Um dos principais atrativos é, sem dúvidas, o passeio de barco (os moliceiros) pelos canais, conhecidos como Ria de Aveiro. Talvez você já tenha ouvido a música “Menina da Ria”, composta e cantada por Caetano Veloso. Pois bem, ela foi composta em homenagem ao local.

O Museu de Aveiro é um passeio muito legal na cidade. O espaço foi construído no mesmo local onde antes funcionava o Convento de Jesus, que ainda possui resquícios ali.

Também vale a pena visitar o Mosteiro de Jesus, Farol de Aveiro, Sé de Aveiro, Museu de Arte Nova e Museu Marítimo de Ílhavo e Aquário dos Bacalhaus.

CASTELOS DE PORTUGAL


Vídeo veiculado no canal For 91 Days Travel Blog

Uma característica que impressiona é a quantidade de castelos em Portugal: são mais de 350 espalhados pelo país. Eles surgem como mecanismo de segurança e só bem mais tarde passam a ser a residência dos nobres de outras épocas. Por isso, não devemos confundir essas construções com o luxo ostentado nos palácios. Essa é uma das principais características e o luxo está presente tanto na construção quanto nos artefatos, como mobiliário e obras de arte.

Um dos mais icônicos é o Castelo de São Jorge, no bairro de Alfama, em Lisboa. Foi construído no século XI pelos mouros, a edificação só passou a ser chamado assim no século XIV.

Outro ponto é o Castelo de Marvão, no Alentejo, que fica na Serra de São Mamede, próximo ao rio Sever. Com um belo jardim na frente, o castelo foi construído pelos mouros, após uma série de disputas pelo território entre romanos e portugueses. Está no rol de castelos classificados como monumentos nacionais.

Na cidade de Óbidos está o castelo que leva o nome da cidade. O Castelo de Óbidos abriga também uma pousada histórica, cuja hospedagem pode tornar a sua viagem ainda mais bacana – atenção aos valores, pois é uma pousada de luxo. No entanto, por conta da pousada, não é possível visitar o castelo em si, o que é uma pena. Quem estiver por lá pode caminhar apenas no entorno da muralha e nas ruelas vizinhas.

Para quem curte a história dos templários, o Castelo de Tomar é uma opção bem bacana. O local é também conhecido como Convento de Cristo, sendo o convento dos templários. No local há muitas esculturas e outras obras artísticas.

Conte para gente nos comentários o que mais gostou de conhecer sobre o país em nosso guia de Portugal! E não esqueça: qualquer dúvida é só falar conosco nos comentários ou no Instagram.

    Leave a Reply